Clique e assine a partir de 9,90/mês

Salário mínimo para famílias deveria ser de R$ 4 mil, diz Dieese

Montante apontado como ideal pelo órgão corresponde a 4,56 vezes o mínimo atual no Brasil, que é de R$ 880

Por Da redação - 7 nov 2016, 13h14

Um estudo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) divulgado nesta segunda-feira mostrou que, em outubro, o salário mínimo ideal para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria ser de R$ 4.016,27. 

Esse montante corresponde a 4,56 vezes o mínimo atual no Brasil, que é de R$ 880.

O valor do mínimo ideal vem subindo graças ao aumento dos preços em geral no país. Em setembro, por exemplo, o valor ideal era de R$ 4.013,08 -pouco abaixo do atual.

Cesta Básica

O custo da cesta básica está menor em 14 das 27 capitais brasileiras. Entre as cidades que tiveram quedas mais expressivas estão Brasília (-5,44%), Teresina (-1,77%), Palmas (-1,76%) e Salvador (-1,66%). Houve alta em 13 capitais, sendo Florianópolis (5,85%), Vitória (3,19%), Porto Velho (2,18%) e Maceió (2,12%) os destaques.

De acordo com a pesquisa Dieese, a cesta mais cara foi a de Porto Alegre (R$ 478,07), seguida de Florianópolis (R$ 475,32) e São Paulo (R$ 469,55). Os menores valores médios foram observados em Natal (R$ 366,90) e Recife (R$ 373,66).

Entre janeiro e outubro deste ano, todas as cidades acumularam alta, sendo as mais relevantes em Maceió (24,25%), Aracaju (23,69%), Rio Branco (21,99%) e Fortaleza (21,21%). Os menores aumentos ocorreram em Brasília (9,58%), Curitiba (10,52%) e Macapá (10,99%).

Entre os tipos de alimento, houve alta no preço da carne bovina de primeira, da manteiga, do açúcar, do tomate e do café em pó. O feijão e o leite tiveram o valor reduzido na maior parte das cidades.

Continua após a publicidade
Publicidade