Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Saída de dólares do Brasil supera entrada em US$ 111 mi em setembro, diz BC

Resultado evidencia que, apesar das intensas turbulências financeiras que marcaram o mês, o país não sofreu com grandes fugas de capital

Após ter registrado um saldo positivo de 4,11 bilhões de dólares em agosto, o fluxo cambial de setembro voltou a ficar negativo em 111 milhões de dólares, informou o Banco Central (BC). O resultado evidencia que, apesar das intensas turbulências financeiras que marcaram o mês, o país não sofreu com grandes fugas de capital.

Na conta financeira, por onde passam os investimentos estrangeiros diretos, o déficit ficou em 1,277 bilhão de dólares. O saldo foi quase completamente compensado pelas entradas de 1,167 bilhão de dólares pela conta comercial, que fechou com saldo positivo pelo sexto mês consecutivo.

No entanto, o país registrou saída líquida de mais de 1 bilhão de dólares em cada um dos dois primeiros dias de outubro (os únicos dois úteis computados pelo BC até o momento), acumulando déficit de 2,355 bilhões de dólares no período. O resultado foi influenciado principalmente pelo déficit de 2,028 bilhões de dólares na conta financeira.

O mês passado foi marcado por forte volatilidade cambial, com o dólar atingindo novos recordes no intradia e no fechamento, chegando a encostar em 4,25 reais.

O movimento intenso levou o BC a reforçar sua atuação no câmbio com leilões de venda de dólares com compromisso de recompra e leilões de novos swaps cambiais, que equivalem à venda futura de dólares. No entanto, não vendeu dólares das reservas internacionais no mercado à vista, argumentando várias vezes que não está havendo saída de moeda estrangeira do país.

Desde então, o dólar inverteu a trajetória e passou a cair, voltando abaixo de 3,80 reais nesta sessão. Neste ano até 2 de outubro, o Brasil registrou entrada líquida de 8,81 bilhões de dólares ao todo.

Leia mais:

Air France pode cortar mais 5.000 empregos

Saiba quais alimentos mais subiram de preço em setembro

(Com agência Reuters)