Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Saiba quais montadoras mais elevaram preços de seus modelos em 2021

Reajuste de veículos novos chegou a 22%, muito acima da inflação de 10% registrada no ano passado pelo IPCA

Por André Sollitto 30 mar 2022, 10h15

Quem pesquisou os preços de carros novos no último ano com certeza levou um susto. Os valores dispararam e as empresas justificam os reajustes afirmando que há uma falta de semicondutores no mercado global e que a produção não está dando conta da demanda dos consumidores. Agora, uma nova pesquisa feita pelo martketplace de veículos Mobiauto dá um panorama mais preciso dos reajustes e aponta quais montadoras foram responsáveis pelos aumentos mais expressivos.

A Fiat aparece em primeiro lugar, com uma variação média de 22,82% no preço de seus veículos – muito acima da inflação de 10,06% ao ano registrada pelo IPCA em 2021. O modelo campeão foi a Fiat Strada Cabine Simples Endurance, com 42,87% de alta. O veículo tem uma das maiores filas de espera do momento, e os consumidores recebem seus carros cerca de quatro a cinco meses após a compra.

Outras montadoras também fizeram reajustes acima da média do mercado, que foi de 12,84%. A Ford, por exemplo, aumentou o preço de seus principais modelos em 16,56%, e pela Hyundai, em 15,74%.

De acordo com a pesquisa, algumas montadoras, como Toyota, Jeep, Nissan e Renault, reajustaram o preço de seus carros zero quilômetro abaixo da inflação do período. A estratégia é tornar alguns modelos mais competitivos, como o Toyota Corolla, que já havia sido renovado em 2019 e sofreu reajustes maiores em 2020, ou o Renault Captur, que não teve o desempenho esperado e ficou 0,12% mais barato.

O estudo foi feito a partir dos valores de 43 modelos (146 versões) de veículos, levantando a variação entre o início e o final do ano. “Os preços sugeridos são meras referências. Há diversas formas de puxar pra cima ou pra baixo esses valores, dependendo das estratégias de cada marca”, afirma Sant Clair Castro Jr., CEO da Mobiauto. “Um carro com alta procura, por exemplo, tem fila de espera e preço real majorado com cobrança de ágio ou repasse de reajustes ao longo dessa espera. Já um modelo mais difícil de vender costuma receber os bônus de fábrica, que são descontos efetivos que a montadora autoriza a concessionária a conceder.”

Confira a lista completa:

Fiat- 22,82%
Ford – 16,56%
Hyundai – 15,74%
Honda – 15,02%
Volkswagen – 13,45%
Chevrolet – 12,43%
Toyota – 9,29%
Jeep – 8,66%
Nissan – 8,39%
Renault – 6,04%

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês