Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Rússia está prestes a integrar OMC após assinar documentos de adesão

Por Da Redação 10 nov 2011, 12h56

Genebra, 10 nov (EFE).- As negociações oficiais para a incorporação da Rússia à Organização Mundial do Comércio (OMC) terminaram nesta quinta-feira em Genebra com a assinatura dos documentos de adesão, que deverá acontecer no início de 2012.

O Grupo de Trabalho especial para a adesão russa concluiu suas tarefas na manhã desta quinta e as conclusões serão encaminhadas à conferência ministerial que a OMC fará em sua sede de Genebra, na Suíça, entre os dias 15 e 17 de dezembro para a aprovação definitiva.

A adesão deverá ser validada depois pelo Parlamento russo, um trâmite que não deve enfrentar problema, já que o partido do Governo tem uma ampla maioria na Duma.

Após 30 dias da validação parlamentar em Moscou, a Rússia passará a ser membro de pleno direito da OMC.

O Grupo de Trabalho se reuniu um dia depois de representantes da Rússia e da Geórgia assinarem acordo alfandegário que abriu o caminho à adesão da única grande economia do mundo que até o momento não integra a OMC.

A Geórgia ameaçava vetar a entrada da Rússia na organização desde a disputa em agosto de 2008, que foi solucionado graças a um acordo propício pelo Governo suíço para abrir caminhos alfandegários supervisionados independentemente pelas repúblicas georgianas separatistas da Ossétia do Sul e a Abkhazia.

Continua após a publicidade

O protocolo de adesão, com 700 páginas, incluirá todos os compromissos da Rússia para a comercialização de bens serviços e a abertura de seus mercados.

Os documentos assinados nesta quinta pelo Grupo de Trabalho – conhecido no jargão da OMC como ‘pacote de adesão’ – contêm os procedimentos e condições de entrada e o Protocolo de Adesão, além dos prazos para os compromissos de acesso aos mercados de bens e serviços acordados entre a Rússia e os Estados-membros.

A Rússia apresentou sua candidatura à OMC em junho de 1993 e a primeira reunião do Grupo de Trabalho foi feita em julho de 1995.

Os analistas consideram que a Rússia será beneficiada com a abertura de seus mercados para o mundo, que precisa de seus recursos naturais, mas que também representará um importante ajuste, já que terá de diminuir consideravelmente as tarifas das importações.

A Rússia é o país com as maiores reservas de gás natural do mundo, a segunda maior reserva mundial de carvão e a oitava de petróleo, matérias-primas que com a metalurgia, a madeira e os equipamentos de defesa, constituem 80% de suas exportações.

A União Europeia é o maior parceiro comercial da Rússia, com 46,8% do total de transações comerciais em 2010, e de longe o maior investidor, com 75% do investimento estrangeiro direto.

É provável que a entrada da Rússia na OMC envolva a modernização da economia do país, que terá de aplicar uma série de reformas legislativas e judiciais para cumprir os requisitos de transparência comercial da organização. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade