Clique e assine a partir de 9,90/mês

Rússia decide banir o LinkedIn, que já começa a sair do ar

Segundo a Justiça russa, a rede social de empregos violou lei que exige armazenamento de dados de cidadãos russos em servidores do país

Por Da redação - Atualizado em 17 nov 2016, 10h14 - Publicado em 17 nov 2016, 10h11

O LinkedIn, rede social voltada ao mercado de trabalho, foi oficialmente bloqueado na Rússia. Segundo a Justiça do país, a empresa violou uma lei sobre armazenamentos de dados.

Nesta quinta-feira, a Corte rejeitou um apelo do LinkedIn contra a decisão de que a empresa violou uma lei que demanda que dados pessoais de cidadãos russos devem ser armazenados dentro dos servidores do país. O caso foi movido pela Roskomnadzor, a reguladora estatal de telecomunicações e mídia da Rússia.

O site do LinkedIn ainda podia ser acessado em Moscou na tarde desta quinta-feira, mas muitos usuários estavam tendo problemas. No entanto, um representante da Roskomnadzor, Vadim Ampelonsky, disse à agência de notícias Interfax que a empresa será bloqueada assim que a Roskomnadzor receber o texto integral da decisão da Justiça. Isso ocorrerá provavelmente na semana que vem.

O LinkedIn informou que estava ciente dos problemas para acessar o site. A empresa disse ainda que pretende discutir o armazenamento de dados com a Roskomnadzor. A lei que levou à decisão contra a rede social de empregos entrou em vigor em setembro de 2015.

Continua após a publicidade

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade