Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Rússia cumpre ameaças e começa corte de gás pela Polônia

Putin exige pagamento da commodity em rublos, o que não está sendo feito pelos europeus

Por Larissa Quintino Atualizado em 26 abr 2022, 16h58 - Publicado em 26 abr 2022, 15h42

Um dos maiores temores da União Europeia após a eclosão da guerra entre Rússia e Ucrânia era (e continua sendo) o fornecimento de gás, já que os países-membros do bloco são altamente dependentes do fornecimento russo para o funcionamento de suas economias. Passados dois meses da guerra, a interrupção do fornecimento deixa de ser hipotética e passa a ser real. A Rússia irá cortar o fornecimento de gás para a Polônia a partir desta quarta-feira, 27, afirmou a PGNiG, principal fornecedor de gás da Polônia. Com a notícia, os preços do gás na Europa dispararam até 17%, dado o temor de que a ação se repita em outros países.

O corte vem após a ameaça russa de cortar o fornecimento de gás aos países que recusam a nova exigência de Vladimir Putin de pagar em rublos. A União Europeia disse que isso violaria as sanções e fortaleceria a Rússia de forma inaceitável. O início pela Polônia é sintomático, já que o país tem sido um duro crítico ao movimento militar de Putin e o principal destino de refugiados ucranianos. Nesta terça, a Gazprom emitiu um comunicado que a Polônia deve pagar o gás em rublos.

“Posso confirmar que recebemos ameaças da Gazprom que estão ligadas, entre outras coisas, aos meios de pagamento”, disse o primeiro-ministro Mateusz Morawiecki a veículos de comunicação alemães. “A Polônia está cumprindo os acordos e talvez a Rússia tente punir a Polônia” cortando as entregas. O governo, entretanto, diz que tem combustível suficiente armazenado para passar pela sanção russa.  

Abril e maio são os meses em que os pagamentos do fornecimento de gás de abril vencem — o primeiro lote para o qual os novos termos se aplicam — e autoridades e executivos europeus, em muitos casos, ainda estão tentando descobrir a melhor forma de responder. A Europa é extremamente dependente do gás russo e, até agora, protegeu principalmente a energia das sanções.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)