Revisão de planos econômicos pode custar R$ 40 bi a fundos de pensão

Segundo cálculo da Abrapp, somado ao prejuízo dos bancos, perda do sistema financeiro pode chegar a R$ 190 bilhões

Por Da Redação - 26 nov 2013, 11h51

A Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp) calcula perdas de 40 bilhões de reais para os fundos de pensão caso o Supremo Tribunal Federal (STF) decida revisar o rendimento das cadernetas de poupança dos planos econômicos Bresser (1987), Verão (1989), Collor (1990) e Collor 2 (1991).

A informação é do jornal Valor Econômico desta terça-feira. O STF pode julgar nesta quarta-feira a constitucionalidade dos planos. Se decidir pela correção monetária das cadernetas de poupança da época, as perdas do sistema financeiro podem chegar a 190 bilhões de reais – 150 bilhões de prejuízo aos bancos mais 40 bilhões dos fundos de pensão.

A Abrapp também manifestou ao STF sua preocupação com o resultado negativo para os fundos de pensão. A decisão do Supremo pode ser aplicada para mais de 1 milhão de ações envolvendo os bancos.

Leia mais:

Publicidade

Decisão do STF impactará economia em R$ 1 trilhão, diz BC

STF contraria Banco Central ao julgar processo sobre planos econômicos

Publicidade