Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Reunião do Eurogrupo termina sem acordo sobre Grécia

Encontro de ministros das Finanças da zona do euro terminou sem sucesso

Por Da Redação 16 fev 2015, 17h17

A reunião do Eurogrupo – ministros das Finanças da zona do euro – destinada a encontrar uma solução para a situação fiscal da Grécia terminou sem acordo nesta segunda-feira. Antes do fim do encontro, funcionários do governo grego disseram que o país rejeitou o rascunho de resolução apresentado.

O documento não aprovado determinava que a Grécia assegurasse “superávits primários e financiamento apropriados, de modo a garantir a sustentabilidade da dívida”, e que o FMI continuaria envolvido em qualquer assistência financeira para o país.

“Estávamos nos oferecendo para efetivamente não implementarmos nosso programa por um período de seis meses e tudo que recebemos em troca era uma promessa nebulosa de alguma flexibilidade que não foi especificada”, disse o ministro das Finanças da Grécia, Yanis Varoufakis, “Sob essas circunstâncias, mostrou-se impossível para o governo grego, apesar de nossa disposição infinita, assinar o comunicado. Então, as discussões continuam”, acrescentou.

Leia mais:

Grécia diz aceitar 70% das exigências dos credores, mas quer alterações no plano

Continua após a publicidade

Europa nega pedido da Grécia para emitir mais € 4,5 bil em títulos

Grécia desiste de pedir perdão da dívida e tenta ganhar confiança da zona do euro

Atenas busca um empréstimo de curto prazo que permita manter a liquidez no país pelos próximos meses. O novo governo radical da Grécia insiste que não vai estender o programa de resgate internacional colocado em prática pela troica (FMI, Comissão Europeia e Banco Central Europeu), que expira em doze dias, mas os seus parceiros da União Europeia dizem que o país precisa aceitar algum financiamento condicional.

Caso não aceite a ajuda internacional prevista para o final de fevereiro, que tem como contrapartida ajuste fiscal e novas medidas de austeridade, a Grécia pode se ver obrigada a declarar moratória.

(Com France-Presse e Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)