Clique e assine a partir de 9,90/mês

Renda média real cai ante avanço da inflação, alerta Ipea

Boletim Conjuntura em Foco aponta que os ganhos salariais influenciaram no comportamento da inflação no setor de serviços

Por Da Redação - 15 jun 2011, 18h57

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revelou nesta quarta-feira, em seu boletim Conjuntura em Foco, que a taxa de rendimento médio real do trabalhador ao longo de 2011 está caindo em consequência do aumento da inflação, em um movimento que se acelerou no 1º trimestre. A massa salarial real registrou aumento de 6,1% no acumulado de doze meses, ao passo que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), indicador oficial da inflação, variou 6,55% no período, aponta a entidade.

O boletim aponta que a própria disparidade entre ganhos salariais e produtividade é uma das causas da aceleração da inflação no setor de serviços no Brasil, já que leva à expansão de custos de produção com mão de obra. “Não restam dúvidas de que o principal motor de impulsão no mercado de trabalho é o crescimento da economia. Não obstante, para que este crescimento ocorra sem grandes gargalos setoriais é necessário melhorar a qualidade da mão de obra para que ganhos de produtividade comportem a expansão dos salários reais sem prejuízo da estabilidade inflacionária”, diz o boletim.

A instituição previu que até dezembro não haverá diferença significativa entre a taxa de desocupação deste ano e a do mesmo mês do ano passado. A Pesquisa Mensal de Emprego do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou que, em abril, houve queda de um ponto porcentual (p.p.) na taxa de desocupação em relação ao resultado de abril de 2010. Para o Ipea, a tendência é que esta diferença comece a se estreitar nos próximos meses.

(com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade