Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Remessa de lucros soma US$ 4,207 bi em novembro

Por Fernando Nakagawa e Adriana Fernandes

Brasília – Empresas multinacionais instaladas no Brasil remeteram US$ 4,207 bilhões na forma de lucros e dividendos às suas sedes em novembro, de acordo com dados divulgados hoje pelo Banco Central (BC). O valor é mais do que o dobro do observado em igual mês do ano passado, quando as transferências somaram US$ 1,949 bilhão. De janeiro a novembro de 2011, as remessas de lucros atingem US$ 33,426 bilhões.

O BC também informou que a conta com juros da dívida externa ficou em US$ 574 milhões no mês passado e alcançou US$ 7,510 bilhões no acumulado de janeiro a novembro. Na conta de serviços, o item viagens internacionais terminou novembro com déficit de US$ 977 milhões e totalizou US$ 13,240 bilhões no ano.

A autoridade monetária prevê uma remessa de lucros e dividendos de empresas instaladas no Brasil para o exterior ainda maior no ano que vem. Pelas novas estimativas do BC, divulgadas há pouco, a previsão de remessas de lucros e dividendos em 2012 é de US$ 39,6 bilhões, um saldo negativo maior que os US$ 38 bilhões previstos para 2011.

O déficit na conta de serviços com viagens internacionais também vai aumentar no próximo ano, saltando de uma previsão negativa de US$ 14,3 bilhões em 2011 para US$ 14,5 bilhões em 2012.

O déficit com serviços de transportes previsto pelo BC saltará de US$ 8 bilhões em 2011 para US$ 8,4 bilhões em 2012. Já o rombo na conta de aluguel de equipamentos ficará quase US$ 3 bilhões maior, de acordo com o BC. A estimativa para este tipo de serviço é de um déficit de US$ 16,3 bilhões em 2011 e de US$ 19 bilhões em 2012. As despesas com juros saltará de US$ 9 bilhões em 2011 para US$ 12,2 bilhões em 2012.

O BC também prevê investimentos líquidos em ações totais (inclui ações negociadas no Brasil e no exterior) de US$ 12 bilhões em 2012, ante US$ 6 bilhões estimados para 2011. Já a previsão de investimento líquido em títulos é de US$ 5 bilhões em 2012, ante uma saída prevista de US$ 700 milhões em 2011. Pelos dados do BC, o déficit em transações correntes subirá de 2,14% do PIB em 2011 para 2,44% em 2012.