Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Rejeição dos gregos derruba bolsas em todo o mundo

Vitória do 'não' no referendo sobre as medidas de austeridade aumentou temores sobre uma possível saída do país da zona do euro. Renúncia de ministro, porém, amenizou as perdas

Por Da Redação 6 jul 2015, 06h42

As bolsas europeias e o euro operam em forte baixa nesta segunda-feira depois de mais de 61% dos eleitores na Grécia terem votado “não” às novas medidas de austeridade propostas pelos credores internacionais do país em plebiscito realizado no domingo.

Bolsas – Por volta das 11h15, a desvalorização era generalizada nas principais bolsas europeias: Paris recuava 1,43%, Frankfurt perdia 0,98%, Londres caía 0,55%, Milão tinha queda de 3,18% e Madri, de 1,95%. Na Ásia, a Bolsa de Tóquio fechou em baixa de 2,08%, Seul perdeu 2,40% e Hong Kong registrou forte queda de 3,18%. A bolsa grega ficou fechada na semana passada e não deverá reabrir até amanhã, assim como os bancos do país. No câmbio, o euro recuava a 1,1041 dólares, de 1,1104 dólares no fim da tarde de sexta.

LEIA TAMBÉM:

Tsipras comemora vitória do ‘não’ e fala em retomar negociações

Ministro das Finanças da Grécia anuncia renúncia ao cargo

Continua após a publicidade

Para analistas, a rejeição do povo grego vai dificultar as futuras negociações de Atenas com seus credores. “O risco de um resultado negativo (para a Grécia) cresceu de forma concreta”, avaliou Francis Yared, estrategista do Deutsche Bank. Já economistas do BNP Paribas preveem “incertezas significativas” nas próximas 48 horas. O maior temor é que a Grécia acabe deixando a zona do euro.

Boa notícia – As perdas das ações na Europa, porém, são contidas pelo anúncio de que o ministro de Finanças grego, Yanis Varoufakis, vai renunciar ao cargo para ajudar seu país a fechar um acordo de resgate com os credores, que incluem a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu (BCE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI).

A saída de Varoufakis é um “evento muito positivo”, segundo Demetrios Efstathiou, estrategista do ICBC Standard Bank. “O ministro de Finanças grego havia perdido a confiança dos parceiros na zona do euro e as negociações serão mais fáceis sem ele”, disse Efstathiou.

Líderes europeus e o Eurogrupo – formado por ministros de Finanças da zona do euro – convocaram reuniões para esta terça-feira para discutir a questão grega.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade