Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Recursos do FGTS para programas sociais batem recorde

Fundo de investimentos alocou 74,62 bilhões de reais em habitação popular, saneamento e infraestrutura

Por Luciana Marques, de Brasília - 29 dez 2010, 13h24

O orçamento alocado em 2010 para habitação popular, saneamento e infraestrutura urbana, considerando a linha de financiamento tradicional, as operações de mercado e o fundo de investimento do FGTS (FI-FGTS), foi da ordem de 74,62 bilhões de reais – 55,58% maior que em 2009.

Trata-se de um valor recorde, segundo dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), divulgados nesta quarta-feira. “Quanto mais aquecida a economia, maior a arrecadação do FGTS. Prova disso é a melhoria das aplicações”, disse o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi (PDT).

Do total de recursos do FI-FGTS, 30,34 bilhões de reais foram destinados a financiamentos habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida. Entre 2003 e 2011 o FGTS destinará quase 20 bilhões de reais para moradias de famílias de baixa renda.

O FI-FGTS foi criado no âmbito do Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) para aplicação de recursos do FGTS nos setores de energia, rodovia, ferrovia, hidrovia, porto e saneamento. Desde 2008, esse fundo investiu 15,82 bilhões de reais, sendo 3,35 bilhões de reais entre janeiro e 21 de dezembro de 2010.

Publicidade

Cerca de 72% dos recursos foram destinados a investimentos em energia. De acordo com o ministro, o investimento elevado neste setor ocorreu devido aos gastos com a construção das usinas de Jirau e Santo Antônio, no Rio Madeira. Já as rodovias ficaram com 6,70% e saneamento com 6,34%.

A arrecadação líquida do FGTS (arrecadação bruta menos saques) até novembro de 2010 ultrapassou 6 bilhões de reais. Considerando as aplicações de recursos, por meio dos financiamentos tradicionais e das operações de mercado, e os saques em contas vinculadas dos trabalhadores, o FGTS injetou na economia 74,64 bilhões de reais entre janeiro e novembro de 2010.

Publicidade