Clique e assine a partir de 9,90/mês

Receita quer mais controle de bagagens em viagens aéreas

Órgão divulgou nesta segunda que objetivo é melhorar o processo para receber grande fluxo de turistas nos grandes eventos, como a Copa em 2014

Por Da Redação - 5 ago 2013, 16h30

A Receita Federal prepara novas medidas para facilitar o controle sobre bens de passageiros em viagens internacionais, informou, nesta segunda-feira, o subsecretário de Aduana e Relações Internacionais da Receita, Ernani Checcucci. A ação, segundo ele, é para melhorar o processo visando receber grande fluxo de turistas em grandes eventos, como a Copa do Mundo de 2014. Passam pela aduana, diariamente, aproximadamente 46 mil passageiros por dia nos aeroportos internacionais. No primeiro semestre deste ano, o controle aduaneiro sobre bens foi feito com 8,46 milhões de passageiros em embarque em desembarque, em 79.766 voos internacionais.

Checcucci disse que a Jornada Mundial da Juventude e a Copa das Confederações aconteceram sem incidentes no que se refere à atuação da Receita. Segundo ele, isso foi considerado um êxito. “Trabalhamos para fortalecer a aduana, com cada vez menor intervenção da Receita”, afirmou.

Leia também:

Arrecadação soma R$ 85,683 bi em junho, pior desempenho desde março

Receita teme efeitos de desonerações tributárias do governo

Continua após a publicidade

PF prende auditor da Receita e mais três em operação contra fraudes no IR

Remessas – A RF apertou a fiscalização de remessas expressas neste ano. O órgão desembaraçou 1,04 milhão de remessas no primeiro semestre de 2013, o que representa crescimento de 12,64% no volume processado ante o mesmo período do ano passado, quando somou 928,47 mil.

Em relação ao processamento de remessas postais internacionais, a Receita informou que fiscalizou 8,83 milhões de remessas postais internacionais. Na comparação com o mesmo período de 2012, quando o órgão processou 6,80 milhões de remessas, o aumento foi de 29,70%.

Leia ainda: Nos portos, burocracia é problema ainda maior do que falta de infraestrutura

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade