Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Receita investiga se bancos sonegam impostos, diz jornal

Instituição montou um grupo de trabalho para apurar se empresas financeiras usaram recursos tributários para driblar o fisco, segundo a 'Folha de S. Paulo'

Por Da redação 22 set 2017, 09h55

A Receita Federal criou um grupo de trabalho, com 24 auditores, para apurar se bancos sonegam impostos usando recursos de planejamento tributário. A informação foi divulgada em reportagem do jornal Folha de S. Paulo nesta sexta-feira. Há suspeita de que a perda com arrecadação pode ter chegado a 15 bilhões de reais em 2016.

  • A investigação apura se instituições financeiras (os nomes são sigilosos) usaram recursos como a transferência de carteira de créditos entre empresas do mesmo grupo para driblar o fisco. Ao vender esse ativo para uma empresa que registrou prejuízo, ou fazer  a transferência por um valor menor que o real, por haver dívidas, os bancos conseguiriam reduzir o imposto pago.

    Segundo a reportagem, as suspeitas começaram após os tributos recolhidos por essas instituições ser bem menor do que o que a Receita esperava receber ao considerar os lucros obtidos por elas. Os auditores identificaram essas divergências a partir de 2014, com as diferenças aumentando nos anos seguintes.

    A suspeita é de que as medidas reduziram a arrecadação do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e  da Contribição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) devido pelas empresas. Apenas nestes dois impostos, o  setor financeiro pagou em 2016 23,9 bilhões de reais e 16,8 bilhões de reais, respectivamente.

    A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) disse que não pode comentar a queda nas receitas de impostos porque não tem monitoramento sobre o caso. “Não temos estudos sobre os valores arrecadados e nem um diagnóstico de todo o sistema, que pode ser afetado por questões individuais de entidades”, disse em nota.

    Continua após a publicidade
    Publicidade