Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Recall: Engenheiro da GM omitiu mudança na ignição de carros

Raymond DeGiorgio diz ter esquecido de mencionar a troca do modelo de chave em 2006 e pareceu perturbado e triste nas conversas com os investigadores

Em depoimento ao Congresso no ano passado sobre um acidente fatal ocorrido em 2010, na Georgia, o engenheiro da General Motors (GM) envolvido no problema que originou o recall de milhões de veículos não mencionou nada a respeito da troca do modelo de chave de ignição de vários modelos de carros do montadora. Raymond DeGiorgio, que trabalhava na GM desde 1991, foi suspenso no dia 10 de abril. Ele liderou a equipe de engenheiros que projetou a nova chave de ignição, usada a partir de 2006 em diversos modelos e que foi a causa principal dos problemas. As falhas na chave impedem que os airbags sejam acionados, o que já levou 13 pessoas à morte.

Segundo o jornal The New York Times, ele pareceu perturbado e “genuinamente triste” com as mortes e sua inabilidade de relacionar o problema da chave de ignição com o acionamento dos airbags. Às autoridades que investigam o caso atual, ele disse que se esqueceu de mencionar a troca de chave no depoimento que deu no ano passado. Os agentes descobriram ao analisar documentos fornecidos pela companhia no âmbito da investigação.

Leia mais:

GM anuncia recall de 2,6 milhões de carros no Brasil e nos EUA

GM recebe multa de US$ 35 milhões por recall tardio

Lucro da GM cai para US$ 100 milhões no 1º trimestre

Em maio, as autoridades americanas aplicaram uma multa de 35 milhões de dólares à GM por ter demorado a fazer o recall de veículos equipados com uma peça defeituosa. No Brasil, quase 240 mil carros de 10 modelos também precisam voltar à concessionária para a substituição de peças. Classic, Cobalt, Montana, Spin, Cruze, Cruze Sport6, Celta, Onix, Prisma e Agile, ano e modelo 2014/15, devem trocar o filtro de combustível, que traz risco de incêndio.

(com agência Reuters)