Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Real e bolsa se desvalorizam após última pesquisa eleitoral

Para analistas, mercado financeiro não vê com bons olhos pesquisas que mostram derrota de Bolsonaro para Haddad no segundo turno

Por Gustavo Machado da Costa Atualizado em 25 set 2018, 14h07 - Publicado em 25 set 2018, 11h43

Após a última pesquisa eleitoral, o real recua frente ao dólar na manhã desta terça. Às 11h20, o dólar comercial era negociado a 4,113 reais, com alta de 0,62%. O Ibovespa, principal indicador da bolsa de valores de São Paulo, a B3, apontava queda de 0,19%, cotado a 77.834 pontos.

Segundo analistas, o mercado financeiro não digeriu bem o último levantamento do Ibope. Nele, Jair Bolsonaro (PSL) aparece com 28% das intenções de voto. A pesquisa mostra também ascensão do candidato Fernando Haddad (PT), que chegou aos 22% e ultrapassou o líder das pesquisas nas intenções de voto para o segundo turno.

Sem grandes novidades no setor externo, este é o principal indutor dos negócios desta terça. “Os fatores externos, esta semana, não são os predominantes”, avalia Robério Costa, economista-chefe do Grupo Confidence. “Na semana passada, a expectativa de que o PT poderia não ganhar a eleição ajudou o mercado virar para algo mais positivo. Mas a mensagem atual para o mercado é negativa”, afirma.

João Medeiros, diretor da corretora Albatross, concorda. Segundo ele, o mercado financeiro teme a eleição de Haddad, e com seus “favoritos” patinando na pesquisa, o mau humor predomina durante o pregão. “O sonho de consumo seriam outros candidatos, que não esses dois. Hoje, o mercado de câmbio está representando friamente as pesquisas eleitorais”, avalia.

Bolsa

Refletindo o mesmo mau humor, o Ibovespa também mostra desvalorização das principais empresas brasileiras. Petrobras, com queda 0,25%, e bancos como Bradesco e Itaú, com baixas de 1,02% e 0,61%, respectivamente, são as principais empresas que enfrentam desvalorização nesta terça. Dentre as ações mais negociadas na bolsa, apenas a Vale apresenta valorização, com alta de 1,63%, refletindo em boa medida as cotações do minério de ferro no mercado internacional.

Continua após a publicidade

Publicidade