Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Ranking aponta as 10 melhores companhias aéreas do mundo em 2023

Nenhuma empresa brasileira está no topo da lista feita pela empresa AirHelp; Azul e Gol aparecem nas posições 47ª e 68ª, enquanto Latam ficou de fora

Por Larissa Quintino
4 dez 2023, 08h30

Nenhuma empresa aérea brasileira está entre as mais bem avaliadas do mundo em 2023. É o que mostra o ranking AirHelp Score, da empresa de direito de passageiros AirHelp, divulgado nesta segunda-feira, 4 de dezembro. Na liderança da preferência dos passageiros no mundo está a Qatar Airways, que pelo segundo ano consecutivo fica na ponta do ranking.

O levantamento, publicado desde 2015, consultou 16 mil passageiros, de 58 países, avaliando três pontos principais: a pontualidade dos voos; a qualidade do serviço das companhias aéreas; e o processamento de reclamações com base na eficiência do atendimento de pedidos de indenização de clientes cadastrados na base de dados da empresa. A Qatar registou 8,38 como nota final, destacando-se pela opinião dos usuários (8,8), pontualidade (8,4) e consistência no processamento de reclamações (8,0).

Completam o pódio duas companhias europeias: a Eurowings, companhia low-cost alemã, e a LOT Polish Airways, da Polônia. Entre as 10 melhores, não há nenhuma companhia da América do Sul. As empresas mais bem avaliadas são da Ásia, Europa e dos Estados Unidos. Confira o ranking abaixo:

Continua após a publicidade

Das 83 companhias listadas pelos passageiros no levantamento, Azul e Gol ocupam o 47º e 68º lugares, respectivamente, caindo em relação ao ranking de 2022, quando a Azul ficou em 45º e a Gol em 36º lugar. A Latam, que o ano passado ocupou a quinta posição e, neste ano, acabou não aparecendo na relação.

“Este ranking mostra que as companhias aéreas brasileiras continuam ficando muito atrás de suas concorrentes. O levantamento conta apenas com a avaliação dos passageiros e acaba deixando claro que ainda há um longo caminho a percorrer para que os usuários mudem essa percepção. Elas ainda deixam muito a desejar em casos de reclamação ou queixa. Temos como missão auxiliar os passageiros aéreos a reivindicar seus direitos garantidos pela lei e conscientizá-los em quais circunstâncias são cobertos pelo Código de Defesa do Consumidor”, avalia Luciano Barreto, diretor-geral da AirHelp no Brasil.

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.