Clique e assine com 88% de desconto

Queda no preço do fosfato reduz lucro da Mosaic

Por Da Redação - 17 jul 2012, 11h08

Por Leticia Pakulski e Paula Moura

São Paulo – O lucro da fabricante de fertilizantes americana Mosaic caiu 22% no quarto trimestre fiscal devido à redução do preço do fosfato. Mesmo assim, segundo a empresa, os resultados foram melhores do que o esperado.

A companhia relatou lucro de US$ 507,3 milhões, ou US$ 1,19 por ação, para o período que terminou em 31 de maio. O valor representa uma queda ante os US$ 649,2 milhões, ou US$ 1,45 por ação, do mesmo trimestre de 2011. A receita recuou 1,4%, para US$ 2,82 bilhões, pois o aumento dos preços do potássio foram compensados pela redução dos preços do fosfato.

Analistas consultados pela Thomson Reuters haviam previsto um lucro por ação de US$ 1,15 com uma receita de US$ 2,55 bilhões. A margem bruta encolheu de 34,8% para 29,6%. A receita líquida do fosfato caiu 5%, já que o preço médio diminuiu 14%. A receita líquida de potássio subiu 5,5% e os preços aumentaram 13%.

Publicidade

Para o primeiro trimestre fiscal, a Mosaic prevê que os preços do potássio fiquem entre US$ 415 e US$ 440 por tonelada, enquanto os preços do fosfato devem oscilar entre US$ 510 e US$ 535 por tonelada.

A empresa dobrou hoje seu dividendo trimestral de 12,5 cents para 25 cents, pois continua seus esforços para aumentar o valor para seus acionistas. A Mosaic mais do que dobrou seus dividendos trimestrais em abril de 5 cents para 12,5 cents por ação.

A Mosaic – originada a partir da gigante do agribusiness Cargill – viu os lucros crescerem ao longo do último ano com a demanda global por fertilizantes aumentando as vendas. Em abril, a companhia previu altos volumes de venda para os fertilizantes de potássio e fosfato, argumentando que a demanda por matéria-prima para as lavouras foi favorecida pelo início adiantado da primavera na América do Norte, além do aumento de embarques para a América do Sul.

No entanto, ela e outras produtoras de fertilizantes têm enfrentado dificuldades nos últimos meses em meio a um impasse com seus clientes. A demanda caiu devido aos preços altos e os revendedores estão trabalhando mais lentamente do que o normal. As informações são da Dow Jones.

Publicidade