Clique e assine a partir de 9,90/mês

Queda do petróleo e corrupção aumentam incerteza sobre o Brasil, diz Agência Internacional de Energia

Em relatório, entidade acrescenta que alto endividamento da Petrobras limita capacidade de investimento no pré-sal

Por Da Redação - 16 jan 2015, 11h46

A queda do preço do petróleo e os problemas associados ao escândalo de corrupção da Petrobras deixam o futuro econômico do Brasil incerto. O raciocínio consta em relatório divulgado pela Agência Internacional de Energia (AIE), que se soma a outros organismos internacionais que lançam dúvidas sobre o futuro da produção de petróleo no país.

No primeiro relatório de 2015 sobre o mercado global de petróleo, a AIE destacou que o caso que levou executivos da Petrobras e várias empreiteiras para a cadeia levanta dúvidas sobre o desenvolvimento de projetos para extração de petróleo no país. Além de eventual impacto da investigação na empresa, a agência nota que a estatal tem dívida muito elevada, o que reduz o fôlego financeiro da Petrobras.

“Ainda que grande parte da produção do Brasil seja lucrativa com o barril em torno de 50 dólares, a enorme dívida da Petrobras limitará a disponibilidade de investimento para o contínuo desenvolvimento dos campos do pré-sal”, diz o documento.

Leia mais:

Continua após a publicidade

Fed reconhece que o petróleo mais barato não beneficia a todos

Mundo cresce mais com queda do petróleo, aponta FMI

Preços do petróleo vão se estabilizar, preveem ministros

Opep – Na quinta-feira, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) fez um prognóstico semelhante. Para a entidade, a Petrobras deverá reduzir o investimento nos próximos meses, o que pode amenizar a tendência de aumento da extração de petróleo a partir do segundo semestre de 2015.

Continua após a publicidade

“Projetos futuros podem estar em risco. É esperado que a companhia corte o Capex (investimento) este ano, o que pode amenizar o crescimento a partir do segundo semestre de 2015”, disse a Opep, sem qualquer menção ao endividamento da companhia ou à corrupção.

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade