Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Proposta de referendo na Grécia afeta bolsas na Europa

Por Gustavo Nicoletta

Londres – Os principais índices do mercado de ações da Europa fecharam em queda após o primeiro-ministro da Grécia, George Papandreou, afirmar que pretende consultar a população do país por meio de referendo para decidir se os gregos aceitarão os termos do pacote de resgate montado pelos países europeus.

A proposta do referendo foi anunciada ontem por Papandreou, surpreendendo seus companheiros de partido e, principalmente, os demais líderes europeus. Amanhã, o primeiro-ministro grego se reunirá com a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e o presidente da França, Nicolas Sarkozy, em Cannes, para explicar os motivos de sua decisão.

Os investidores acham que o referendo coloca em risco as medidas anunciadas pela União Europeia para conter a crise das dívidas soberanas da região, inclusive uma proposta que prevê a redução de 50% na dívida grega detida por credores privados.

“Levando em conta o quão persistentes foram a Grécia e a Alemanha para chegarem a esse acordo, parece um risco desnecessário desfazer todo esse esforço”, disse Jordan Lambert, operador da Spreadex. “Essa incerteza deve criar tempos turbulentos nas próximas semanas”, acrescentou.

A agência de classificação de risco Fitch Ratings disse que a rejeição do pacote de resgate pela população grega poderia aumentar o risco de um default soberano e forçar a saída da Grécia da zona do euro.

O índice pan-europeu Stoxx 600 caiu 8,42 pontos, ou 3,46%, para 235,06 pontos. Na Bolsa de Londres, o FTSE-100 recuou 122,65 pontos, ou 2,21%, para 5.421,57 pontos. Em Paris, o CAC 40 perdeu 174,51 pontos, ou 5,38%, para 3.068,33 pontos. Na Bolsa de Frankfurt, o Xetra DAX fechou em baixa de 306,83 pontos, ou 5,00%, a 5.834,51 pontos.

Em Milão, o índice FTSE MIB caiu 1.089,49 pontos, ou 6,80%, para 14.928,24 pontos. O IBEX 35, da Bolsa de Madri, recuou 375,30 pontos, ou 4,19%, para 8.579,60 pontos. Em Lisboa, o PSI 20 teve queda de 215,85 pontos, ou 3,68%, para 5.654,27 pontos. O ASE, da Bolsa de Atenas, recuou 55,93 pontos, ou 6,91%, para 752,65 pontos.

As ações de bancos tiveram o declínio mais acentuado da sessão. Na França, os papéis do Société Générale perderam 16,23%, enquanto os do BNP Paribas recuaram 13,06%. Em Atenas, caíram Piraeus Bank (-5,24%), Alpha Bank (-11,11%) e National Bank of Greece (-14,53%), enquanto o ING Group fechou em baixa de 14,42% em Amsterdã. Em Lisboa, o Banco Comercial Portugues teve declínio de 13,55%, enquanto o Intesa Sanpaolo caiu 15,80% em Milão.

O Credit Suisse, que hoje anunciou um aumento de 12% no lucro do terceiro trimestre em comparação a igual período do ano passado, recuou 8,20% em Zurique. As ações do Barclays perderam quase 10% em Londres depois de terem sua recomendação rebaixada para “neutra”, de “comprar”, pelo UBS.

Fora do setor financeiro, a Alcatel-Lucent fechou em queda de 7,5% depois de a recomendação de seus papéis ter sido rebaixada para “neutra”, de “acima da média”, pelo J.P. Morgan Cazenove. As informações são da Dow Jones.