Clique e assine a partir de 9,90/mês

Produção industrial sobe em dezembro e fecha 2011 em alta

Por Da Redação - 31 jan 2012, 09h43

RIO DE JANEIRO (Reuters) – A produção industrial brasileira cresceu 0,3 por cento no ano passado, bem abaixo da expansão de 10,5 por cento obtida em 2010, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira.

Entretanto, apesar da comparação desfavorável para o desempenho no ano passado, os dados mostraram também uma gradual recuperação do setor no fim do ano.

Em dezembro, a produção industrial aumentou 0,9 por cento na comparação com novembro, quando a expansão mensal foi de apenas 0,2 por cento. O dado de novembro foi revisado para baixo, de um crescimento de 0,3 por cento informado anteriormente.

O IBGE revisou também os dados de outubro e de setembro, mas com melhora nos indicadores, apesar das variações negativas. Em outubro, houve queda de 0,5 por cento na produção industrial na comparação com setembro, ante uma redução de 0,7 por cento informada antes. A queda na produção de setembro frente a agosto foi revisada de 1,9 por cento para 1,8 por cento.

Continua após a publicidade

No mês passado, sobre dezembro de 2010, a produção diminuiu 1,2 por cento, a quarta redução consecutiva nesse tipo de comparação, mas a menos intensa desta sequência.

Economistas consultados pela Reuters esperavam alta de 1 por cento em dezembro sobre novembro e queda de 0,8 por cento no mês passado sobre igual período de 2010, segundo a mediana das projeções.

Segundo o IBGE, as comparações entre a produção de cada trimestre com a do trimestre imediatamente anterior, com ajuste sazonal, mostram que o setor industrial perdeu ritmo a partir de abril. No primeiro trimestre de 2011, a indústria conseguiu registrar ganho trimestral de produção de 1,1 por cento.

Nos trimestres seguintes, porém, houve reduções cada vez mais acentuadas na comparação com os três meses anteriores: menos 0,7 por cento no segundo trimestre, menos 0,8 por cento no terceiro trimestre e menos 1,4 por cento no quarto trimestre.

Publicidade