Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Produção industrial sobe 1,3% em fevereiro – melhor resultado em um ano

Em janeiro, a produção industrial havia apresentado recuo de 1,5%, criando ambiente de alerta

Da mesma forma que o setor automotivo reforçou a queda da produção em janeiro, foi ele que impulsionou a alta do último mês

A produção industrial brasileira cresceu 1,3% em fevereiro ante janeiro de 2012, informou nesta terça-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Trata-se do maior avanço mensal desde fevereiro de 2011, quando o indicador avançou 2,2%. Contudo, na comparação com o mesmo período do ano passado, a produção nacional caiu 3,9%, a sexta taxa negativa consecutiva nesse tipo de confronto e a mais intensa desde setembro de 2009 (-7,6%). Ainda segundo o IBGE, a taxa acumulada em doze meses permanece negativa em 1%.

Em janeiro, a produção industrial havia apresentado recuo de 1,5%, criando um ambiente de alerta junto ao governo. Nesta manhã, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, deverá anunciar novas medidas para estimular o setor industrial no Brasil.

Da mesma forma que o setor automotivo reforçou a queda da produção em janeiro, foi ele que impulsionou a alta do último mês. Segundo o IBGE, a elevação da produção ocorreu de forma generalizada, atingindo 18 dos 27 ramos industriais. A produção de veículos e peças cresceu 13,1% em fevereiro, eliminando parte da queda de 31,2% verificada em janeiro. O recuo mais intenso observado no mês anterior foi explicado, segundo o IBGE, pela concessão de férias coletivas que atingiu várias empresas do setor.

Também contribuíram de forma positiva para a formação do índice as indústrias extrativas (9,3%), equipamentos de instrumentação médico-hospitalares, ópticos e outros (23,8%), farmacêutica (7,0%), outros produtos químicos (3,1%), bebidas (6,0%), máquinas para escritório e equipamentos de informática (9,5%) e refino de petróleo e produção de álcool (2,5%). Já o impacto negativo veio, sobretudo de máquinas e equipamentos (-4,8%), que interrompeu três meses de taxas positivas, material eletrônico, aparelhos e equipamentos de comunicações (-6,3%), alimentos (-1,1%) e fumo (-13,3%).

Os sinais de uma melhora no ritmo da atividade industrial nesse mês também ficaram evidenciados na evolução do índice de média móvel trimestral que mostrou ligeira variação de 0,1%, primeira taxa positiva nesse indicador desde julho do ano passado. No entanto, o índice acumulado para o primeiro bimestre de 2012, frente a igual período do ano anterior, ainda mantém-se negativo, registrando queda de 3,4%.