Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Produção industrial cai em dez regiões, aponta IBGE

Dados referem-se a agosto; apenas Paraná, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Ceará tiveram crescimento

Por Da Redação - 6 out 2011, 09h43

A produção industrial registrou queda em dez dos 14 locais que integram a Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física, na passagem de julho para agosto, informou nesta quinta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Goiás (-6,6%) e Espírito Santo (-6,4%) apontaram os recuos mais acentuados. Com isso, a indústria goiana devolveu parte da expansão de 19,1% acumulada nos últimos três meses de crescimento, ao passo que a capixaba somou perda de 11,6% nos últimos quatro meses de recuo.

Os demais locais que registraram redução na produção acima da média nacional, que ficou em -0,2%, foram Amazonas (-4,5%), Pernambuco (-3,0%), Bahia (-1,9%), Rio Grande do Sul (-1,5%), Pará (-1,2%), Minas Gerais (-1,1%) e região Nordeste (-0,9%). São Paulo – que tem o parque industrial mais diversificado do país e de maior peso na estrutura da indústria – apontou um recuo de 0,1%.

Por outro lado, houve aumento na produção do Paraná (7,0%), do Rio de Janeiro (4,3%), de Santa Catarina (1,9%) e do Ceará (1,5%).

Publicidade

Na comparação com agosto do ano passado, os resultados foram positivos em oito dos 14 locais pesquisados, mas houve influência do efeito calendário, já que agosto de 2011 teve um dia útil a mais que agosto de 2010. As expansões mais intensas que a média nacional, de 1,8% nesse tipo de comparação, foram observadas no Paraná (24%), impulsionado em grande parte pelos avanços assinalados nos setores de edição e impressão, veículos automotores e refino de petróleo e produção de álcool; no Amazonas (8,1%); no Pará (4,5%); em Pernambuco (4,5%); em Goiás (4,1%) e no Rio Grande do Sul (3,6%). Rio de Janeiro (1,8%) e São Paulo (1,5%) também registraram taxas positivas.

Os resultados negativos em agosto em relação ao mesmo mês do ano passado foram registrados em Minas Gerais (-0,5%), Espírito Santo (-1,4%), Bahia (-1,5%), Santa Catarina (-1,6%), região Nordeste (-3,7%) e Ceará (-13,8%).

(com Agência Estado)

Publicidade