Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Produção industrial cai em 11 dos 14 locais pesquisados

Considerando todas as regiões, houve queda média da atividade de 1,4% entre maio e junho

Por Da Redação 6 ago 2014, 10h40

A produção industrial caiu em junho em 11 dos 14 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou a Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física Regional. Em São Paulo, principal parque industrial do país, a queda foi de 1%.

No mês, os recuos mais acentuados foram registrados no Amazonas (9,3%), Paraná (7,5%), em Pernambuco (7,4%) e no Ceará (5,4%). Apenas no Amazonas, a perda acumulada em quatro meses seguidos de queda na produção chegou a 19,2%, enquanto em Pernambuco, a indústria recuou 8,9% entre abril e junho.

As demais taxas negativas foram verificadas na Região Nordeste (4,4%), em Santa Catarina (4,0%), no Rio Grande do Sul (2,3%), Pará (2,0%), em Minas Gerais (1,7%) e na Bahia (1,1%). No período, a média nacional da indústria foi de queda de 1,4%. Na direção oposta, houve avanço nas indústrias do Rio de Janeiro (5,4%), Espírito Santo (3,5%) e Goiás (0,4%).

Na média dos locais, a produção da indústria recuou 1,4% entre maio e junho, mas sem os dados de Mato Grosso – o IBGE não explica o motivo da ausência. Na comparação com junho de 2013, a queda da atividade foi de 6,9%, conforme divulgou o IBGE na semana passada.

Leia mais:

Produção industrial cai 6,9% em junho

Continua após a publicidade

Confiança da indústria é a menor desde abril de 2009

Produtividade brasileira estagnou na última década, alerta OCDE

Em relação a junho de 2013 a produção industrial do mesmo mês de 2014 encolheu em 12 locais pesquisados. Houve recuo no Amazonas (16,1%), Paraná (14,0%), na Bahia (12,1%), no Rio Grande do Sul (11,9%), na Região Nordeste (8,3%), em Santa Catarina (7,5%), Pernambuco (7,3%), no Mato Grosso (7,1%), Ceará (6,7%), em São Paulo (6,5%), Minas Gerais (6,1%) e no Rio de Janeiro (2,1%). No mesmo período, a média da produção industrial nacional caiu 6,9%. Na direção oposta, houve expansão no Pará (6,7%), puxado pelo setor extrativo (minérios de ferro em bruto), além do Espírito Santo (4,1%) e de Goiás (3,3%).

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade