Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Produção de minério de ferro da Vale cai 4,5%

Produção de Carajás recuou 10,5% em relação ao terceiro trimestre de 2011

A Vale informou, nesta quarta-feira, que a sua produção de minério de ferro no terceiro trimestre do ano somou 83,926 milhões de toneladas, o que representou uma queda de 4,5% em relação ao registrado no mesmo período de 2011. Na comparação com o trimestre imediatamente anterior houve um incremento de 4,2% nos volumes. Essa produção considera 100% da produção da Samarco, empresa na qual a Vale é sócia.

Ainda no trimestre passado, Carajás foi responsável por 27,635 milhões de toneladas do volume total, ou 32,9% do registrado no período. A produção de Carajás recuou 10,5% em relação ao terceiro trimestre de 2011. Sobre a performance em Carajás, a companhia explicou que a empresa enfrentou problemas relacionados com o licenciamento ambiental, o que levou a empresa a “persistir na mineração de cavas mais antigas, o que resultou em menor produtividade, menor teor de Fe e custos mais elevados”.

Considerando os primeiros nove meses do ano a produção de minério pela Vale atingiu 234,462 milhões de toneladas, um recuo de 2,2% em relação ao registrado no mesmo intervalo de 2011.

Já a produção de pelotas pela mineradora somou 14,461 milhões de toneladas, aumento de 1,6% na comparação anual e de 1,4% na trimestral. No acumulado do ano até setembro, o volume atingiu 41,409 milhões de toneladas, aumento de 3,8% ante mesmo período do ano anterior.

No segmento de metais básicos, a Vale informou que a produção de níquel no período entre julho e setembro somou 49 mil toneladas, recuo de 15,7% ante o terceiro trimestre de 2011 e queda de 19,8% em relação ao trimestre imediatamente anterior. No ano, a produção somou 173 mil toneladas métricas, estável em relação a 2011.

Já a produção de cobre caiu 19,9% em relação ao mesmo período de 2011, para 68 mil toneladas. Ante o trimestre anterior o recuo foi de 3,6%. No ano até setembro, a produção chegou em 211 mil toneladas métricas, queda de 3% na comparação anual.

(Com Agência Estado)