Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Procon vai recorrer da liberação das vendas da B2W

Órgão quer aval da Justiça para impedir por três dias as vendas dos sites Americanas.com, Submarino e Shoptime em todo o estado de São Paulo

O Procon de São Paulo aguarda a notificação da Justiça para determinar em qual instância irá recorrer da decisão da 7ª Vara de Fazenda Pública de São Paulo, que deferiu nesta quarta-feira pedido de liminar em favor da B2W evitando a suspensão das vendas dos sites da companhia (Americanas.com, Submarino e Shoptime), por três dias e a aplicação da multa no valor 1,7 milhão de reais.

O chefe do gabinete do Procon, Carlos Coscarelli, disse que o órgão de defesa do consumidor foi informado da decisão pelo próprio advogado da B2W, Sérgio Bermudes. “Ainda estamos aguardando a intimação da Justiça para decidirmos se vamos tentar derrubar a liminar na própria 7ª Vara ou se vamos levar à instância superior, o Tribunal de Justiça”, afirmou.

Segundo ele, a B2W já havia recorrido da mesma decisão, divulgada em 10 de novembro de 2011 no Diário Oficial do Estado de São Paulo. “Mesmo após a liminar obtida em primeira instância no final do ano passado, a empresa continuou apresentando problemas”, disse. “Os problemas diminuíram, mas não foram totalmente solucionados”.

Coscarelli informou que, em 2012, o órgão registrou 342 denúncias contra a B2W, das quais 164 são reclamações por atraso nas entregas; 46, por produtos danificados; e 37, pelo não cancelamento da desistência de compras.

Segundo ranking divulgado nesta quinta-feira pelo Procon-SP referente a 2011, a B2W foi a segunda empresa com o maior número de reclamações. Neste ano, a B2W está em 11º lugar entre as empresas com o maior número de reclamações de consumidores.

O representante do Procon salientou que, em 2012, a empresa continua com um alto índice de reclamações sem soluções. “A B2W solucionou apenas 34% das 342 notificações deste ano. Isso está acima da média, que é de 20% entre as empresas com o maior número de reclamações”, afirmou.

(com Agência Estado)