Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Procon recomenda evitar mais 71 sites de compras

Em novembro do ano passado, Fundação já havia divulgado lista com 200 sites de e-commerce que devem ser evitados

Por Da Redação 22 abr 2013, 13h59

A Fundação Procon-SP ampliou, nesta segunda-feira, a lista de sites de compras não recomendados pela entidade. Mais 71 endereços foram acrescentados e devem ser evitados pelos consumidores. A lista já soma 275 sites desde 2011.

O órgão recebeu reclamações desses endereços por irregularidades na prática de comércio eletrônico, “principalmente por falta de entrega do produto adquirido pelo consumidor que não obtém resposta dos mesmos para a solução do problema”, divulgou o Procon, em nota.

De acordo com o diretor executivo da entidade, Paulo Arthur Góes, as reclamações não puderam ser passadas adiante porque os fornecedores não foram localizados, inclusive no rastreamento feito no banco de dados de órgãos como Junta Comercial, Receita Federal e Registro BR, responsável pelo registro de domínios no Brasil. “Denunciamos os casos ao Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC) e ao Comitê Gestor da Internet (CGI), que controla o registro de domínios no Brasil, mas o mais importante é que o consumidor consulte essa lista antes de fechar uma compra pela internet”.

A lista pode ser consultada na página no Procon na internet. Entre os sites recentemente adicionados estão a Faston, Armazém Games e Best Mania.

O site de VEJA preparou uma página de Perguntas e Respostas sobre como o consumidor pode buscar seus direitos em casos de compras não recebidas.

Leia também:

Sites de vendas burlam a Receita e podem prejudicar consumidores

Brasileiros têm prejuízo com operação ‘Maré Vermelha’

Empresas têm prejuízo com ‘Maré Vermelha’ da Receita

Continua após a publicidade
Publicidade