Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Procon notifica LBR por leite contaminado

Segundo órgão, recall da companhia não tinha informações sobre os riscos ao usuário que consumirem o produto contaminado

A Fundação Procon de São Paulo, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, notificou nesta sexta-feira a LBR Lácteos Brasil S/A, fabricante dos leite da marca Parmalat e Líder, sobre falhas em sua chamada de recall dos produtos. Segundo o órgão, em seu comunicado a empresa informou sobre a possível contaminação dos produtos, mas não alertou sobre as consequências à saúde do consumidor que ingerir o produto.

Segundo a LBR, podem estar contaminados os lotes de leite UHT integral marca Parmalat produzidos em Guaratinguetá (SP) entre às 22h00 do dia 13 de fevereiro e 6h45 de 14 de fevereiro de 2014, e comercializados no Estado de São Paulo. Além disso, também é alvo do recall o leite UHT integral da marca Líder produzido em Lobato (PR) entre às 5h05 e 7h43 de 13 de fevereiro e de 00h00 até 5h25 de 14 de fevereiro de 2014, comercializado no Estado do Paraná. Os problemas de possível contaminação foram identificados pelo Ministério da Agricultura.

Leia mais:

Leite com formol, soda cáustica e água oxigenada foi vendido em SP

MPF constata novo caso de adulteração no leite no RS

Leite adulterado: por nove centavos, vidas em risco

O Procon-SP determinou que a empresa regularize seu comunicado até o dia 25 de março para se adequar às leis vigentes. O consumidor pode identificar os códigos das embalagens afetadas no site da companhia (www.lbr-lacteosbrasil.com.br). O telefone 0800 011 2222 e o e-mail sac@lbr-lacteosbrasil.com.br também foram colocados à disposição da população.

Atualização às 20h40

A LBR afirmou, em nota, que seus produtos estão aptos para o consumo e que a matéria-prima utilizada para a fabricação de leite UHT das marcas Parmalat e Líder foi submetida a testes e analisada por laboratórios credenciados pelo Ministério da Agricultura (MAPA). Segundo a empresa, as 13 análises realizadas, incluindo testes do MAPA, apresentaram resultado negativo para a presença de formaldeído, não oferecendo, portanto, qualquer risco à saúde. Em relação à notificação do Procon-SP, a empresa afirmou que prestará esclarecimentos no prazo legal.

Leia também:

Fiscalização do transporte do leite não é obrigatória

Rastreabilidade pode ser a saída para o leite