Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Presos suspeitos de adulterar leite em Goiás

Quadrilha pode ter modificado até 700 mil litros de leite com sal, açúcar e água, que serviam para aumentar a quantidade da bebida

A Polícia Civil de Goiás prendeu sete suspeitos de integrarem uma quadrilha que roubava e adulterava leite em vários municípios do estado, conforme noticiou nesta segunda-feira a Agência Brasil. As prisões foram realizadas em Morrinhos, cidade localizada a 128 quilômetros da capital Goiânia.

Em comunicado à imprensa, a Polícia Civil de Morrinhos informou que investigava a quadrilha desde novembro do ano passado, após denúncias do Sindicato das Indústrias de Laticínios do Estado de Goiás (Sindileite) a respeito de roubo do produto no sul do estado. Em uma das rotas monitoradas, a polícia encontrou três caminhões que transportaram, na última semana, cerca de 700 mil litros de leite adulterado.

Leia também:

Mais três marcas de leite têm venda proibida

Secretaria da Agricultura notifica produtoras de leite a explicar adulteração

Segundo as investigações, a carga era roubada e encaminhada para uma fazenda na região do trevo de Buriti Alegre, onde o produto era adulterado com substâncias como sal, açúcar e água, que aumentavam a quantidade do leite produzido.

“Possivelmente, revendia-se esse leite desviado de grandes laticínios, após adulterar o produto, para laticínios piratas na região, onde eram produzidos queijos e derivados sem qualquer procedência”, disse Rilmo Braga, delegado da Polícia Civil de Morrinhos, em comunicado.

Centenas de litros da mistura utilizada para adulterar o leite foram apreendidas. Cálculos apontam que a quadrilha furtava aproximadamente 60 mil reais por mês dos cooperados de Morrinhos. De acordo com o comunicado oficial, as investigações continuam e mais suspeitos podem ser presos ainda hoje.

Leia ainda: Empresas de transporte de leite adulteram produto no RS