Clique e assine a partir de 9,90/mês

Presidente dominicano quer financiamento brasileiro para usinas elétricas

Por Da Redação - 9 jul 2012, 19h32

Brasília, 9 jul (EFE).- O presidente eleito da República Dominicana, Danilo Medina, se reuniu nesta segunda-feira com a presidente Dilma Rousseff, com quem discutiu um possível financiamento para a construção de duas usinas elétricas.

‘Seriam duas usinas de 300 megawatts cada uma’, explicou Medina a jornalistas no Palácio do Planalto, após a reunião com Dilma, a qual convidou para assistir sua posse, prevista para 16 de agosto.

Medina informou que se trata de instalações que funcionarão ‘a carvão ou a gás’, ainda não está definido, por isso não seria possível estabelecer os custos de produção nem as necessidades reais de financiamento.

O presidente eleito disse que a República Dominicana ainda tem ‘grandes carências’ de energia elétrica e que durante sua gestão de governo pretende, pelo menos, minimizá-la.

Continua após a publicidade

‘Precisamos aumentar a oferta de energia elétrica’ para dar maior impulso à indústria, alegou Medina, que não especificou qual seria a forma de participação brasileira.

‘Isso discutiremos mais tarde’, disse o presidente eleito, que adiantou que a presidente lhe ofereceu ‘todo o apoio’ possível para o projeto.

Na reunião com a presidente, Medina também pediu cooperação em programas sociais que planeja desenvolver a partir de sua posse, tomando como base a experiência brasileira.

Disse que, como o Brasil fez nos últimos dez anos, deseja realizar em políticas que permitam ‘que os pobres ascendam à classe média’, mediante a ‘criação de oportunidades e planos de promoção e inclusão’ social.

Continua após a publicidade

Após o encontro com Dilma, Medina viajou para a cidade de São Paulo, onde amanhã se reunirá com autoridades locais e empresários.

O presidente eleito prevê encerrar sua visita ao Brasil na quarta-feira, no Rio de Janeiro, onde também se reunirá com representantes do governo fluminense e do setor privado. EFE

Publicidade