Clique e assine a partir de 9,90/mês

Presidente dominicano consulta Dilma sobre planos sociais e usinas de energia

Por Da Redação - 9 jul 2012, 20h09

Brasília, 9 jul (EFE).- O presidente eleito da República Dominicana, Danilo Medina, se reuniu nesta segunda-feira com a presidente Dilma Rousseff, com quem discutiu um possível financiamento para a construção de duas usinas elétricas, que serão dos principais pilares da próxima gestão.

‘Queremos que os pobres ascendam à classe média’, através da ‘criação de novas oportunidades e planos de promoção e inclusão’ social, como ocorreu no Brasil com cerca de 40 milhões de pessoas durante os últimos dez anos, disse Medina a jornalistas.

Medina, que assumirá a Presidência da República Dominicana em 16 de agosto em cerimônia à qual convidou Dilma hoje, reiterou sua forte aposta no modelo brasileiro, ao que se referiu como um ‘exemplo de crescimento econômico com redução das desigualdades’ que pode ser imitado por seu país.

Segundo dados oficiais, cerca da metade da população da República Dominicana vive na pobreza e um terço dessas pessoas está na miséria, um problema que Medina pretende enfrentar durante sua gestão.

Continua após a publicidade

Para conhecer mais os planos aplicados com sucesso no Brasil, o presidente eleito se reuniu hoje com autoridades do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, com as quais acertou estudar novos planos de cooperação nessa área, explicou após seu encontro com Dilma.

Medina também discutiu com a presidente brasileira um possível apoio para a construção de duas usinas elétricas na República Dominicana, um projeto ainda incipiente, mas que poderia contar com financiamento brasileiro.

‘Seriam duas usinas de 300 megawatts cada’, explicou Medina a jornalistas no Palácio do Planalto, após a reunião com Dilma. O presidente informou que se trata de instalações que funcionarão ‘a carvão ou a gás’, ainda não está definido, por isso não é possível estabelecer os custos de produção nem as necessidades reais de financiamento.

O presidente eleito disse que a República Dominicana ainda tem ‘grandes carências’ de energia elétrica e que durante seu governo pretende ao menos minimizá-las.

Continua após a publicidade

‘Precisamos aumentar a oferta de energia elétrica’ para dar maior impulso à indústria, alegou Medina, que não especificou qual seria a forma de participação brasileira.

Durante sua estada na capital o governante também se reuniu com autoridades do Ministério da Educação, a fim de conhecer os planos que o país desenvolve no setor, que serão ‘chave’ em sua gestão, que disse que terá como objetivo que ‘nenhuma criança dominicana tenha que deixar a escola para trabalhar’.

Medina aproveitou sua visita a Brasília para promover a oferta turística dominicana, que é uma das grandes fontes de divisas do país e que em 2011 significou a entrada de US$ 4,36 bilhões, que representaram um aumento de 3,5% em relação a 2010.

Com esse objetivo, se reuniu com o ministro de Turismo do Brasil, Gastão Vieira, com quem acordou explorar alternativas para aumentar o fluxo de turistas brasileiros para seu país.

Continua após a publicidade

Segundo dados oficiais, durante o ano passado cerca de 20 mil turistas brasileiros viajaram para a República Dominicana, número que o país antilhano espera dobrar durante 2012 e elevar para cerca de 60 mil em 2013.

Após a reunião com Dilma, Medina viajou para São Paulo, onde amanhã se reunirá com autoridades locais e empresários.

O presidente eleito prevê encerrar sua visita ao Brasil na quarta-feira, no Rio de Janeiro, onde também se reunirá com representantes do governo fluminense e do setor privado. EFE

Publicidade