Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Preocupação com China derruba bolsas europeias

Principal índice de Xangai encerrou o pregão com baixa de 8,5%, a maior queda em oito anos; índice que reúne as principais ações europeias fechou com perda de 2,19%

Por Da Redação 27 jul 2015, 15h19

As principais bolsas da Europa encerraram o pregão desta segunda-feira em forte baixa, pressionadas pelo recuo acentuado dos mercados acionários da China. O índice FTSEurofirst 300, que reúne as principais ações do continente, fechou com queda de 2,19%, a 1.529 pontos, o menor nível em duas semanas. Apesar da baixa, o índice acumula alta de 12% no ano.

A Bolsa de Xangai teve a maior queda em mais de oito anos em meio ao temor de que o governo retire as medidas para controlar a volatilidade dos mercados. O índice Xangai Composto caiu 8,5%, para 3.725 pontos, a maior baixa diária desde 27 de fevereiro de 2007.

“A queda nas bolsas chinesas também trouxe de volta as preocupações sobre a desaceleração do crescimento da segunda maior economia do mundo”, disse o estrategista-chefe do banco Reyl, François Savary, que acrescentou que o tombo provocou a aversão ao risco nos mercados globais, afetando fortemente as ações na Europa e o mercado de commodities.

Leia também:

Bolsa da China cai 8,5%, maior queda desde 2007

Bolsa de valores da Grécia deve retomar operações nesta terça

Dólar abre em alta e chega a ser negociado a R$ 3,37

Continua após a publicidade

Somou-se a esse mau humor dos mercados uma série de notícias corporativas ruins. Em Londres, os papéis da companhia aérea Ryanair caíram 2,20% depois de a empresa manter inalterada a sua previsão de lucro para o ano. O movimento pressionou o principal índice da bolsa da Inglaterra, o FTSE-100, a fechar em queda de 1,13%, aos 6.505 pontos.

Na Bolsa de Zurique, os papéis do banco UBS caíram 1,62%, apesar de o balanço do segundo trimestre ter vindo melhor do que o esperado por analistas. O índice de referência Swiss Market recuou 1,38%, fechando em 9.194 pontos.

A notícia de que a Fiat Chrysler concordou em pagar uma multa de 105 milhões de dólares aos reguladores dos Estados Unidos por causa de recalls derrubou os papéis da montadora na Bolsa de Milão. As ações da empresa cederam 6,94%, a maior baixa do mercado acionário italiano nesta segunda-feira. O índice de referência FTSE-MIB terminou com queda de 2,97%, aos 22.809 pontos, na mínima do dia.

A queda recente de ações de tecnologia em todo o mundo pressionaram os papéis da Indra Sistemas, que baixaram 3,84%, uma das maiores quedas na Bolsa de Madri. O principal índice do país, o IBEX-35, caiu 1,45%, fechando em 11.145 pontos.

Em Frankfurt, todas as ações de blue chips (ações mais valiosas do mercado) que compõem o índice DAX encerraram o pregão no vermelho. O indicador baixou 2,56%, para 11.056 pontos.

A Bolsa de Paris fechou em queda de 2,57%, aos 4.927 pontos, e a de Lisboa recuou 1,96%, para 5.676 pontos.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade