Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Prêmios Rei da Espanha incentivam exercício do jornalismo ‘de qualidade’

Por Da Redação
28 mar 2012, 14h38

Belén Anca López.

Madri, 28 mar (EFE).- O bom exercício do jornalismo ibero-americano, que informa com liberdade e rigor os problemas e fatos que ocorrem na região, foi devidamente reconhecido nesta quarta-feira em Madri durante a entrega dos Prêmios Internacionais de Jornalismo Rei da Espanha.

Em cerimônia realizada na Casa da América, os reis Juan Carlos e Sofía presidiram a entrega da 29º edição dos prêmios, que neste ano foram oferecidos a jornalistas de Brasil, Bolívia, México, Argentina, Equador e Espanha.

Durante seu discurso, o rei destacou a consolidação destes prêmios como prova da importância do ‘jornalismo de excelência’ e que ‘sabe se adaptar’ aos avanços tecnológicos e das comunicações ‘sem perder a perspectiva’ de seu principal objetivo: ‘informar com liberdade e rigor’.

Continua após a publicidade

O monarca também fez referências ao bicentenário da Constituição espanhola de 1812, que, ‘com uma clara projeção ibero-americana, proclamou o mais alto nível de liberdade de imprensa em um amplo espaço intercontinental’.

O Prêmio de Fotografia ficou com o brasileiro Wilton Júnior, do jornal ‘O Estado de S.Paulo’, por uma imagem que retratava a presidente Dilma Rousseff sendo aparentemente ‘transpassada’ por uma espada carregada por um oficial durante uma cerimônia militar.

O espanhol Ricardo Cantalapiedra, escritor e colunista do jornal ‘El País’, ficou com o Prêmio Don Quixote de Jornalismo por seu artigo ‘Los seres queridos’. Este prêmio é concedido pela Agência Efe com apoio da empresa pública Tragsa, comprometida com a cooperação internacional espanhola.

Continua após a publicidade

Fernando Molina, um jornalista boliviano, foi agraciado com o Prêmio Ibero-americano com o artigo ‘Pensar Hispanoamérica: el inicio’, publicado no jornal ‘Página Siete’.

O argentino Alberto Emilio Recanatini recebeu o Prêmio de Rádio pelo programa de investigação ‘Made in Bajo Flores’, que aborda as atividades das oficinas clandestinas em bairros pobres de Buenos Aires.

Os equatorianos Héctor Hernán Higuera e Antonio Eduardo Narváez foram premiados na categoria de Televisão por uma transmissão ao vivo, pelo canal ‘Ecuavisa’, sobre a retenção do presidente Rafael Correa durante uma rebelião policial, ocorrida em 30 de setembro de 2010.

Continua após a publicidade

O prêmio de Imprensa acabou nas mãos dos mexicanos Dalia Martínez e Humberto Padgett, autores da reportagem ‘La república marihuanera. Así gobiernan los caballeros templarios’, que relatava o cotidiano de uma região dominada pelo narcotráfico. A matéria premiada foi publicada na revista ‘Emeequis’.

Pablo Loscri recebeu o prêmio por um especial multimídia publicado no site ‘Clarin.com’, uma reconstrução virtual do julgamento contra as três primeiras juntas da ditadura argentina.

Além dos reis Juan Carlos e Sofía, a cerimônia de entrega dos prêmios contou com a presença da vice-presidente do Governo espanhol e ministra da Presidência, Soraya Sáenz de Santamaría; do secretário de Estado de Cooperação Internacional para a Região ibero-americana, Jesús Gracia; o secretário-geral ibero-americano, Enrique Iglesias; e o presidente da Agência Efe, José Antonio Vera.

Continua após a publicidade

Em seu discurso, Jesús Gracia reivindicou o exercício de um jornalismo ‘verídico e de qualidade’ e também exaltou o trabalho ‘honesto’ de seus profissionais.

Em seu primeiro discurso como presidente da Efe, Vera avaliou os prêmios e destacou o importante papel da agência em fortalecer a ‘marca Espanha’ e o fato de ser a maior agência do mundo em língua espanhola e a quarta internacional.

Personalidades do campo político, cultural, dos negócios, da comunicação e representantes do corpo diplomático em Madri assistiram ao ato, que foi encerrado com uma apresentação musical.

Continua após a publicidade

O Prêmio Ibero-americano e o Don Quixote premiaram os jornalistas com 9 mil euros, enquanto os demais receberam 6 mil euros cada. Além da quantia em dinheiro, os premiados também levaram uma escultura de Joaquín Vaqueiros Turcios.

Os prêmios são organizados anualmente pela Agência Efe e pela Secretaria de Estado de Cooperação Internacional para a região ibero-americana, do Ministério das Relações Exteriores espanhol.

A 29º edição dos Prêmios Rei da Espanha, assim como a anterior, contou com patrocínio da OHL, grupo internacional de concessões e construção. EFE

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.