Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Preço dos materiais escolares deve subir 8% este ano

Aumento deve-se principalmente aos impostos excessivos, que podem chegar a 47% para canetas, 43% para apontadores e borrachas e 35% para cadernos e lápis

É comum que o orçamento familiar fique mais apertado depois das festas de final de ano. Mas há outro fator pode pressionar ainda mais as contas domésticas entre janeiro e fevereiro: o material escolar. De acordo com a Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares (ABFIAE), o preço dos materiais escolares deve subir 8% este ano.

Leia também:

Inflação acima da meta e dólar em alta são as apostas de economistas para 2015

Brasileiros terão de poupar mais em 2015; conheça sete alternativas para conter gastos

Otimismo e alta do consumo ainda estão distantes da realidade, diz FGV

O presidente da ABFIAE, Rubens Passos, explica que o aumento aconteceu por causa da elevação do preço da matéria-prima dos materiais escolares, influenciada pela escalada do dólar em 2014 e do reajuste salarial de profissionais do setor acima da inflação. Contudo a principal vilã é a tributação excessiva. Segundo o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), a alíquota pode chegar a até 47% sobre canetas, 43% sobre apontadores e borrachas e 35% sobre cadernos e lápis.