Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Preço do etanol recua em 15 Estados e no DF, segundo ANP

Mesmo com o recuo, o biocombustível teve alta em seu preço médio de 0,58% no país

Os preços do etanol hidratado recuaram nos postos de 15 Estados e do Distrito Federal na semana passada, segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) compilado pelo AE-Taxas. Em dez Estados houve alta. O Amapá não teve avaliação.

No entanto, a média dos postos brasileiros pesquisados pela ANP registrou alta de 0,58% no preço do etanol na semana passada (vendido a 2,760 reais) ante a anterior (que valia 2,744 reais).

Em São Paulo, principal Estado produtor e consumidor, a cotação média do hidratado avançou 1,02%, de 2,559 reais para 2,585 reais o litro. A maior alta foi em Alagoas, de 2,08% no preço do biocombustível, e o maior recuo foi no Mato Grosso, queda de 1,89%,

Na comparação mensal, os preços do etanol recuaram em 21 Estados, e no Distrito Federal, e subiram em somente quatro unidades da federação. No Amapá, não houve avaliação.

Na média brasileira, o preço do etanol pesquisado pela ANP acumulou baixa de 2,13% na comparação mensal. Mato Grosso teve a maior queda nos preços do biocombustível no período, de 7,33%.

O preço mínimo registrado na semana passada para o etanol foi de 2,199 reais o litro, em São Paulo, e o máximo ficou em 4,949 reais o litro, no Rio Grande do Sul. Mato Grosso tem o menor preço médio estadual, de 2,491 reais o litro, e o Acre tem o maior preço médio de 3,994 reais o litro.

Competitividade

Os preços médios do etanol estão vantajosos ante os da gasolina em apenas quatro Estados brasileiros – Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, e São Paulo. O levantamento da ANP compilado pelo AE-Taxas considera que o etanol de cana ou de milho, por ter menor poder calorífico, só é vantajoso ante à gasolina, se seu preço for, no máximo, 70% do valor do derivado de petróleo.

O Paraná teve alta de 0,14% nos preços da semana passada, fazendo assim a paridade do etanol com a gasolina variar de 69,77% para 70,15%, o que deixou o biocombustível desfavorável.

Em Mato Grosso, o hidratado é vendido em média por 57,37% do preço da gasolina, em Minas Gerais por 64,59%, em São Paulo por 65,16% e em Goiás, 67,07%. Na média brasileira, a paridade é de 66,16% entre os preços médios do etanol e da gasolina, favorável ao biocombustível.

A gasolina segue mais vantajosa em Roraima, com a paridade de 98,26% para o preço do etanol.

(Com Estadão Conteúdo)