Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Preço de imóveis no Brasil desacelera em junho

A variação de valores no semestre foi menor do que a inflação esperada.

O preço do metro quadrado de imóveis novos e usados anunciados em 16 cidades brasileiras voltou a desacelerar em junho, de acordo com o índice FipeZap Ampliado, divulgado nesta quinta-feira. O indicador cresceu 10,9% em 12 meses até junho, em relação a 2013. Contudo, a tendência é desaceleração, uma vez que, na mesma base de comparação, o preço do metro quadrado havia aumentado 11,7% em maio e 12,2% em abril.

Entre janeiro e junho, o crescimento foi de 3,49%. Considerando a variação esperada do relatório Focus para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) no primeiro semestre, de 3,68%, a variação do valor dos imóveis será menor do que a inflação.

“O preço dos imóveis subiu menos do que a média dos demais preços da economia. Houve, portanto, queda real de preços”, segundo o comunicado de divulgação do indicador.

Leia mais:

Inflação do aluguel registra queda de 0,74% em junho

Cresce venda de imóveis novos em abril, diz Secovi-SP

FMI alerta para nova bolha imobiliária em desenvolvidos e emergentes

Das 16 cidades monitoradas, cinco tiveram queda nominal do preço médio na comparação mês a mês: Brasília (0,18%), Curitiba (0,51%), Vila Velha (0,21%), Santo André (0,25%) e São Bernardo do Campo (0,25%). O preço médio do metro quadrado em junho foi de 7.531 reais.

O Rio de Janeiro, cidade com o metro quadrado mais caro do Brasil (10.648 reais), registrou alta de 0,37% em junho ante maio, a menor desde março de 2008. No acumulado de 12 meses até junho, foi registrado também o menor aumento desde o início da série histórica em 2008, de 12,5%.

O valor mais baixo do metro quadrado é em Vila Velha (ES), de 3.934 reais. Já São Paulo praticamente empatou com Brasília e registrou em junho o segundo maior preço anunciado entre as cidades monitoradas pelo indicador, de 8.124 reais contra 8.122 reais da capital federal.

(com agência Reuters)