Precisa de alguém para buscar o filho? App transporta criança sozinha

Estatuto da Criança e do Adolescente não permite que menores viajem desacompanhados fora da região em que residem

Por Patrícia Basilio - Atualizado em 31 jul 2018, 19h30 - Publicado em 31 jul 2018, 17h56

O FemiTaxi, aplicativo de transporte que trabalha apenas com motoristas mulheres, oferece um serviço especializado no transporte de crianças e jovens desacompanhados. O serviço é válido para crianças a partir de 7 anos e está disponível apenas para clientes da região metropolitana de São Paulo.

Para garantir a segurança dos pequenos, o aplicativo oferece treinamento específico às motoristas e filma todo o percurso para que os pais possam acompanhar o trajeto ao vivo por meio de um link que leva ao YouTube.

Atualmente, há cerca de 100 motoristas especializadas que atuam na capital paulista e na região metropolitana de São Paulo. A expectativa é que esse número aumente conforme o crescimento da demanda pelo serviço. Mensalmente, o aplicativo transporta 30 mil passageiros na cidade de São Paulo, sendo que 6.000 são crianças e jovens.

“A maioria dos responsáveis usa a tecnologia para transportar as crianças a cursos extracurriculares, esporte, casa de amigos e até festas”, explica Helena Rodrigues, diretora de relacionamento da FemiTaxi.

Publicidade

Aos usuários mais frequentes, o serviço conta com agendamento de corridas, no caso de demandas frequentes, como idas a cursos de idiomas, por exemplo. Também é possível contratar pacotes pré-pagos mensais, semestrais e anuais com descontos de 10%, 20% e 40%, respectivamente.

De acordo com Helena, uma taxa de dez reais é cobrada nesta opção de serviço — valor que custeia o treinamento das motoristas e o rigor na segurança.

Facilidade no dia a dia

Com a correria do trabalho, a engenheira civil Maristela De Fordi, 46, não consegue uma pausa para levar a filha Maria Vitória, 13, para o treino de vôlei. No primeiro momento, ela buscou colegas que pudessem ajudá-la, mas não conseguiu alguém que trouxesse a pequena atleta de volta para casa.

Publicidade

“Encontrei um taxista conhecido que poderia fazer este serviço para mim, mas todos da família foram contra por ele ser homem. Foi então que conheci a FemiTaxi e fiquei interessada porque as motoristas são mulheres e porque eu posso acompanhar toda a corrida pela internet ao vivo”, explica ela, que utiliza o aplicativo semanalmente há seis meses.

Antes de decidir pelo serviço, Maristela pesquisou sobre a empresa e conversou com diretores do aplicativo. Hoje, faz até agendamento antecipado de viagens. “Já conheço umas quatros motoristas. Algumas até tiram o encosto do banco do passageiro para eu visualizar melhor a minha filha no carro”, afirma.

Serviço sem concorrente

A responsabilidade de transportar crianças e pré-adolescentes desacompanhadas com segurança é o principal motivo de os concorrentes da FemiTaxi não realizarem este tipo de serviço.

Publicidade

Uber, Cabify, Lady Driver e 99 Táxi não oferecem corridas para menores de idade ou emancipados sozinhos, mesmo que os responsáveis sejam os solicitantes da corrida. As empresas reforçam, ainda, que no caso de utilização do app por terceiros, o acesso do usuário pode ser bloqueado.

Segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente, menores de idade só podem viajar sem os pais ou algum responsável dentro da comarca em que residem. Em termos gerais, na região em moram.

No caso da FemiTaxi, Helena garante que o aplicativo funciona apenas na capital paulista e região metropolitana de São Paulo. “Os pequenos passageiros não podem sair do estado”, reforça.

Publicidade