Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Seguradora vai oferecer proteção contra ataques cibernéticos

Modalidade é fruto de parceria entre a Porto Seguro e a americana AIG

A Porto Seguro vai comercializar, a partir de 2019, serviços para pequenas e médias empresas (PMEs) contra riscos cibernéticos. Além desse seguro, outros quatro voltados para esse tipo de companhia também integrarão o portfólio da Porto Seguro, que fechou uma parceria com a americana AIG.

Os produtos que fazem parte desta negociação são: Gestão Protegida, Responsabilidade Civil Profissional  para profissionais liberais , Riscos Cibernéticos, Ambiental Transporte e Operador Portuário.

Os serviços já eram disponibilizados no Brasil pela AIG, mas a empresa entendeu melhor aproveitar a rede de comercialização da Porto Seguro para conseguir um crescimento mais rápido.

“O mercado de PMEs tem grande potencial de crescimento para os seguros mais tradicionais, e ainda mais para os especializados. Apesar de nossa penetração ser ainda pequena, temos um mar aberto para navegar”, diz Fábio Oliveira, presidente da AIG Seguros.

Nos últimos dois anos, diversos casos de vazamento de dados e ataques cibernéticos foram relatados no Brasil. Esse tipo de ataque cria um risco para as empresas, que podem sofrer punições na Justiça. O objetivo dos seguros de responsabilidade civil é justamente mitigá-lo.

“Este é um dos que tem maior potencial de crescimento”, afirma Oliveira. “A demanda tem crescido quase que exponencialmente. O número de cotações nos primeiros cinco meses deste ano superou todo o número de 2017.”

Marcelo Picanço, diretor-geral de Seguros e Investimentos da Porto Seguro, ressalta o caráter global deste tipo de atividade criminosa, o que requer que o segurador tenha conhecimento avançado sobre o mercado. “A cada diz há novas modalidades de crimes virtuais, com mais tecnologia e que podem estar sendo praticados de qualquer ponto do mundo”, diz o executivo. “É importante contar com uma seguradora que tenha conhecimento mundial.”

Para que os serviços sejam disponibilizados no mercado pela Porto Seguro, duas aprovações ainda precisam sair. A primeira é do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que precisa concordar com a parceria, e a segunda é da Superintendência de Seguros Privados (Susep), que precisa permitir a entrada da Porto Seguro nesse mercado.

As empresas acreditam que os serviços estarão disponíveis a partir do primeiro trimestre de 2019.