Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

A crise aérea transformou o verão europeu em um grande caos

Aeroportos registram aumento de cancelamentos e atrasos devido à greve de funcionários

Por Luana Meneghetti Atualizado em 4 jul 2022, 15h21 - Publicado em 4 jul 2022, 11h14

Os europeus enfrentam um cenário bastante adverso nos aeroportos. Como se não bastassem as passagens mais caras, filas, atrasos e cancelamentos se tornaram corriqueiros nos últimos dias com a greve das companhias aéreas. Esse é mais um episódio de caos que o setor aéreo enfrenta nos últimos dois anos. Anteriormente, a própria pandemia deflagrou a crise. Agora, são seus efeitos que estão levando trabalhadores a exigir melhores condições de trabalho, como aumentos salariais e novas contratações.

Com o fechamento das fronteiras e as restrições de locomoção nos países, as companhias aéreas reduziram a força de trabalho durante a crise sanitária. A jornada de trabalho e os salários dos tripulantes, por consequência, também foram reduzidos. Agora, com a retomada das viagens, os funcionários esperam fechar um acordo para garantir melhorias. A greve acontece em meio à temporada de férias do verão europeu, o quem tem piorado a situação dos aeroportos.

As companhias de baixo custo Ryanair e EasyJet já anunciaram as paralisações. No sábado, cinco voos foram cancelados e 175 foram adiados no aeroporto de Madri, capital da Espanha. Dos atrasados, 123 eram da Ryanair e 52 da EasyJet. Na França, diversos voos também estão sendo cancelados no aeroporto Charles de Gaulle, em Paris. Segundo a agência Reuters, aeroportos do Reino Unido, Holanda e Alemanha também estão com dificuldades para manejar o aumento do tráfego. Na Alemanha, o problema é o déficit de trabalhadores, tanto nos aeroportos quanto no quadro de funcionários da Lufthansa. Segundo o sindicato USO (Unión Sindical Obrera), mais de 200 voos foram cancelados e quase mil sofreram atrasos nos últimos seis dias.

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)