Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Por que o investidor do varejo brasileiro está cobiçado por grandes bancos

Mesmo com a alta da Selic, a compra de 40% do C6 Bank pelo JP Morgan é mais um movimento do mercado em busca das pessoas físicas

Por Luisa Purchio Atualizado em 29 jun 2021, 10h07 - Publicado em 29 jun 2021, 09h05

Nas últimas três reuniões do Copom, o órgão colegiado subiu a taxa Selic e no mês passado ela atingiu 4,25%, ante 2% no começo do ano. Mesmo que a taxa básica de juros da economia esteja ficando menos favorável ao mercado de renda variável, o boom dos investidores do varejo brasileiro continua despertando novos negócios. De olho neste segmento e na expectativa de seu potencial, o JPMorgan Chase anunciou a compra de 40% de participação no banco digital C6 Bank na segunda-feira, 28.

Em comparação com mercados mais desenvolvidos, o mercado financeiro no Brasil tem grande potencial de atrair novos clientes. Mesmo após a digitalização impulsionada pelo auxílio emergencial, um estudo realizado pelo Instituto Locomotiva em janeiro de 2021 apontou que 10% da população ainda não possuía conta em banco e 11% não movimentaram a conta, um total de 34 milhões de pessoas.

Além disso, a pesquisa “Raio-X do Investidor Brasileiro 2020”, realizada entre novembro e dezembro de 2020 pela Anbima em parceria com o Datafolha mostrou que a poupança ainda é o produto preferido e utilizada por 29% dos investidores, ou seja, 30 milhões de pessoas. Vale lembrar que, na realização do estudo, a Selic estava em 2%, o que mostra que há um grande número de pessoas para atrair ao mercado de investimentos no Brasil.

O JPMorgan Chase opera no Brasil há mais de 50 anos, na área de Investment Bank, Global Corporate Bank, Asset Management e Private Banking e a compra do C6 marca a aposta da instituição em um nicho novo no país. Desde o ano passado, quando a taxa básica de juros caiu para níveis historicamente baixos, o mercado de investimentos no Brasil se multiplicou. Novas empresas surgiram para surfar na entrada de mais de 1 milhão de investidores na bolsa e para oferecer opções àqueles que buscam opções mais rentáveis. Em movimento semelhante no mês passado, o BTG Pactual adquiriu o grupo Universa, que controla a Empiricus.

O C6 Bank foi fundado em 2019 para concorrer com empresas como o Nubank e possui em sua carteira mais de 7 milhões de clientes. Os serviços vão de cartões de crédito e débito à oferta de crédito e opções de investimentos aos clientes pessoa física e jurídica.

“Essa parceria estratégica nos permite ganhar ainda mais escala no nosso negócio e continuar oferecendo aos consumidores brasileiros os melhores produtos financeiros”, afirma Marcelo Kalim, CEO e cofundador do C6 Bank. “Admiramos a estratégia e a gestão do C6 Bank. Com uma plataforma impressionante de produtos e serviços, eles estão bem posicionados para manter a trajetória de crescimento e construir uma grande franquia. Vamos apoiar a aceleração do crescimento do banco em sua ambição de se tornar um líder em serviços financeiros no Brasil”, diz Sanoke Viswanathan, CEO de varejo internacional do JPMorgan Chase.

Continua após a publicidade
Publicidade