Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Polícia italiana investiga sede da agência Fitch em Milão

Segundo a imprensa italiana, a Procuradoria de Trani ampliou recentemente sua investigação em função do rebaixamento da classificação da dívida soberana da Itália em dois graus, de A a BBB+

Agentes da Polícia Fiscal italiana inspecionaram nesta terça-feira a sede da agência de classificação de risco Fitch em Milão. Segundo informam os meios de comunicação italianos, as verificações nos escritórios da Fitch são realizadas por ordem da Procuradoria de Trani (sudeste da Itália), que já investiga a S&P e a Moody’s por supostos delitos de especulação abusiva, manipulação de mercado e uso ilícito de informação privilegiada.

Em agosto do último ano, também por ordem dos procuradores de Trani, a polícia apreendeu vários documentos pertencentes a Moody’s e a S&P. As investigações da Procuradoria surgiram em função de denúncias de associações de consumidores italianos e têm a colaboração da Comissão Nacional da Bolsa de Valores (Consob) italiana.

Até o momento, a Procuradoria tinha informado sobre duas investigações paralelas: uma primeira aberta em janeiro de 2011 e que afeta a Moody’s pelo relatório divulgado em 6 de maio de 2010 no qual afirmava que o sistema bancário italiano estava entre aqueles em risco perante os problemas financeiros da Grécia. E uma segunda, que corresponde às avaliações expressadas pela S&P em três ocasiões diferentes, uma das quais colocava dúvidas sobre um dos planos de ajuste orçamentário do governo italiano antes que ele fosse ao Parlamento. As duas outras ocasiões correspondem a relatórios divulgados em maio, nos quais a agência colocava em perspectiva negativa a avaliação creditícia da dívida soberana da Itália e de vários bancos italianos.

Segundo a imprensa italiana, a Procuradoria de Trani ampliou recentemente sua investigação em função do rebaixamento da classificação da dívida soberana da Itália em dois graus, de A a BBB+, junto com a de vários países da zona do euro.

Os procuradores acusam as agências de classificação de risco de terem manipulado o mercado com “julgamentos falsos, infundados ou, em qualquer caso, imprudentes” sobre o sistema econômico-financeiro italiano.

Por parte da S&P são investigados os analistas Eileen Zhang, Frank Gill e Moritz Kraemer. A responsável legal da agência na Itália, Maria Pierdicchi, se apresentará na próxima sexta-feira perante os procuradores na qualidade de testemunha.

Da agência Moody’s é investigado o analista que assinou o relatório de 6 de maio de 2010, Ross Abercromby. Sobre a Fitch, que nas últimas semanas ameaçou também com novos rebaixamentos a classificação da dívida soberana da Itália, não se tem até o momento informação oficial de nenhuma investigação.

(Com EFE)