Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Plataforma P-55 começa a ser montada em Rio Grande

Por Tássia Kastner

Porto Alegre – A plataforma P-55, a primeira semisubmersível a ser montada no Rio Grande do Sul e a maior do tipo a ser construída no País, começa a tomar forma no Estaleiro Rio Grande, no polo naval gaúcho, com o içamento do deckbox (parte que fica sobre o casco) e a entrada do casco da plataforma no dique seco.

A operação de unificação do casco com a parte superior, chamada de mating, deve ser concluída até sexta-feira, segundo nota divulgada pela Petrobras. O processo teve início no dia 25 de junho, com a pesagem final e o começo do içamento da parte superior da P-55. Para a integração das duas partes, é necessário erguer o deckbox, com peso de 17 mil toneladas, a uma altura de 42 metros.

Além das proporções recordes, é a primeira vez que o dique seco do estaleiro Rio Grande é inundado, medida necessária para a entrada do casco produzido pelo estaleiro Atlântico Sul, de Pernambuco.

A montagem ocorre com pelo menos um ano de atraso, decorrência da demora na entrega do casco produzido no estaleiro nordestino. Fontes ligadas ao setor dizem que houve um erro na construção dos nós da plataforma, que fazem a ligação das duas partes, e a correção da construção levou à demora na entrega, realizada no dia 16 de janeiro deste ano, segundo a Petrobras. O novo plano de negócio da estatal, para o período 2012-2016, prevê que a P-55 passe a produzir em setembro de 2013, no campo de Roncador da Bacia de Campos (RJ).

O módulo que está sendo incorporado ao casco foi desenvolvido pela Quip, empresa formada a partir de um consórcio entre a Iesa Óleo e Gás, UTC Engenharia e Queiroz Galvão, o mesmo consórcio responsável pela integração da P-53.