Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Plano de saúde para pets custa a partir de R$ 27; saiba como escolher

Antes de assumir a mensalidade, é preciso saber se os serviços oferecidos atendem as necessidades do animal de estimação

O Brasil possui 132 milhões de animais de estimação, sendo 52,2 milhões de cães e 22,1 milhões de gatos, segundo dados do IBGE. De olho no potencial desse mercado, empresas estão oferecendo planos de saúde para pets com mensalidade a partir de 27 reais. Só no Estado de São Paulo existem 17 opções de planos de saúde animal, segundo o Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV-SP).

Os planos disponíveis no mercado oferecem desde serviços básicos, como consultas e exames, até outros mais específicos, como cobertura de parto, implante de microchip e auxílio-funeral. Os mais completos possuem vacinas, castração e reembolsos de procedimentos feitos fora da rede credenciada.

Carolina Peres, do centro veterinário Vet Quality, explica que a adesão a planos de saúde deve levar em conta economia e tranquilidade. “As despesas veterinárias são periódicas e não costumam ser baratas. Em um ano, os custos com animais de estimação ultrapassam 2.000 reais”, diz ela com base em pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

A Porto Seguro oferece o serviço desde 2014 para segurados de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Curitiba. Esse braço da empresa, chamado Health For Pet, oferece tomógrafos, ressonâncias, tratamentos oncológicos, ortopédicos e UTIs veterinárias. Há seis planos com diferentes serviços e preços – variam de 27 reais a 323 reais por mês.

O Hospital Sena Madureira oferece há quatro anos um plano que permite consultas e exames no local. Já existem 15.000 cadastrados. Não há cobrança de taxa de adesão nem mensalidade. “Começamos a reparar que os tutores não queriam pagar mensalidade e não usar o serviço, mas, ao mesmo tempo, queriam ter um suporte em emergência”, diz Mario Marcondes, diretor clínico do Sena Madureira. Nesta modalidade, a pessoa cadastra o CPF e pode usar com qualquer cão ou gato, sem a necessidade de implantação de microchip para identificação do animal. Os valores acumulados valem descontos na área de saúde e vencem depois de seis meses.

No mercado desde maio de 2015, o Medicina com Carinho possui 4.000 animais registrados e oferece planos individuais nas modalidades semestral e anual – valores variam de 510 reais a 840 reais por período e podem ser parcelados.

Já a Mister Saúde Animal atua há 15 anos no ramo. A empresa não divulga a quantidade de cães e gatos cadastrados, apenas que os planos custam a partir de 35 reais mensais. As clínicas credenciadas estão localizadas apenas na capital e na Grande São Paulo.

O analista de sistemas Felipe Andrade, de 27 anos, contratou o plano de saúde Health for Pet, da Porto Seguro, para a cachorra Luna, de 7 anos, há pouco mais de um ano. Morador de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, ele escolheu levando em conta a rede de conveniada e o reembolso. “Pago 134 reais por mês, mas os custos que tive recentemente com a cachorra foram mais altos”, compara.

Recentemente, ele percebeu que Luna, que não tem raça definida, estava com queda de pelos. “Levei-a na dermatologista, mas, como houve suspeita de problema nos ovários, precisou fazer ultrassom”, diz. Só a consulta custaria 320 reais e o exame, 220 reais. “E já tenho a castração agendada”, explica. “Só isso já valeu o que eu paguei até hoje.”

Andrade tem outros dois cachorros, mas para esses não contratou plano de saúde. “Eles têm um e dois anos. A partir dos três eu contrato, porque, por enquanto, eles não têm muitos gastos com o veterinário.

A tutora da shitzo Nina, Hilveti Gabel, decidiu incluí-la no plano de saúde para pet em 2016. “Ela tinha três anos e decidi fazer por questão de segurança, caso ela precise de algum tratamento”, explica a professora e moradora de Higienópolis que ganhou a cachorrinha há cinco anos, época em que o filho foi morar fora do país. “Como nós temos plano de saúde, ela, como membro da família, também tem o dela”, afirma. Dentre as vantagens, há vacinas inclusas e a veterinária atende em seu domicílio, sempre com cobertura do plano. A mensalidade é de 100 reais.

A tutora da shitzo Nina, Hilveti Gabel, decidiu incluí-la no plano de saúde para pet em 2016

A tutora da shitzo Nina, Hilveti Gabel, decidiu incluí-la no plano de saúde para pet em 2016 (//Arquivo pessoal)

Dicas para escolher o melhor

Primeiro, é preciso saber qual é a necessidade do animal. Segundo Carolina, “um animal jovem e saudável provavelmente precisa de menos cuidados veterinários”.  Marcondes, do Sena Madureira, lembra que animais saudáveis devem visitar o veterinário pelo menos uma vez por ano. Porém, se tiver doença crônica, a frequência deve ser maior. “A partir de 6 anos, o cachorro é considerado idoso e, nesta idade, é indicado fazer check-up”, explica.

Para os mais novos, por exemplo, é possível escolher um básico e depois mudar para outros mais completos. Também vale pesquisar preços em mais de uma empresa e saber quais são os serviços oferecidos por cada uma.

Se está acostumado a levar o pet a um determinado veterinário, veja se ele atende o plano de saúde que está cotando ou considere ter de trocar (ou o plano ou o profissional). Outra opção é escolher planos que oferecem reembolso. Assim como os planos de saúde comercializados para humanos, os para pets possuem período de carência.

“A primeira dica é conferir se o plano tem o certificado de regularidade do CRMV válido, isso é garantia de que o plano de saúde possui um médico-veterinário como responsável técnico. Outra dica seria aquela que serve para qualquer serviço: procurar se informar se há muitas reclamações sobre a empresa, buscar indicações”, explica Leonardo Burlini, assessor técnico médico-veterinário do CRMV-SP. “É importante também obter informações sobre os estabelecimentos credenciados e os serviços ou procedimentos que estão à disposição sem custo adicional ou que necessitam de pagamento de taxas extras”, conclui.