Clique e assine a partir de 9,90/mês

Pilotos da Lufthansa estendem greve até sexta-feira

Companhia cancelou 84 dos 153 voos de longa distância planejados para esta quinta-feira. Trabalhadores reivindicam melhores condições de trabalho

Por Da Redação - 19 mar 2015, 12h40

A greve dos pilotos da Lufthansa, que obrigou a companhia alemã a cancelar 750 voos na quarta-feira, agora afeta mais trajetos. Segundo o sindicato Vereinigung Cockpit (VC), agora os pilotos dos lucrativos voos de longa distância da companhia aérea também ficarão sem voar. Os grevistas prometem manter a paralisação até sexta-feira e reivindicam melhores condições trabalhistas, incluindo benefícios de aposentadoria antecipada.

A Lufthansa cancelou 84 dos 153 voos de longa distância planejados para esta quinta-feira, afetando 18 mil passageiros, disse um porta-voz. Já para a sexta-feira, houve o cancelamento de 790 voos previstos de médio e curto percurso, o que afetará cerca de 94 mil passageiros. Na quarta, a companhia se viu obrigada a suspender 750 voos de curta e média distância e aproximadamente 80 mil passageiros foram prejudicados.

Pilotos da unidade de voos de carga também estão em greve, mas a companhia alemã disse que foi capaz de executar todos os voos planejados usando pilotos voluntários ou alterando um pouco os horários. Os voos das filiais de baixo custo da principal companhia aérea alemã, Germanwings e Eurowings, não estão incluídos nas interrupções.

Leia mais:

Viagens aéreas foram mais seguras em 2014, apesar de desastres da Malaysia Airlines

Continua após a publicidade

Pilotos da Lufthansa entram em greve na Alemanha e 80 mil passageiros ficam sem voar

Trata-se da 12ª convocação de greve organizada pelo VC em um ano, diante da falta de acordo sobre a reforma do atual sistema de aposentadorias antecipadas, do qual se beneficiam 5,4 mil pilotos da aérea. A Lufthansa queria originalmente aumentar a idade mínima de pré-aposentadoria, situada neste momento em 55 anos, e, embora tenha abandonado seu plano inicial, mantém seu objetivo de aumentar a idade média de aposentadoria de 58 para 61 anos.

Ao anunciar a extensão das interrupções para sexta-feira, o sindicato assegurou que seu objetivo não é bloquear as decisões estratégicas da empresa, mas defender seus direitos no convênio coletivo. Em comunicado, o sindicato de pilotos acusou a direção da Lufthansa de querer “mudar radicalmente a cultura corporativa existente” e afastar-se do diálogo.

A Lufthansa respondeu dizendo que os pilotos estão danificando uma reputação que precisou de anos para ser construída. Procurada pelo site de VEJA, a assessoria da Lufthansa no Brasil não confirmou se há voos para o país afetados pela paralisação.

(Com agências EFE e Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade