Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

PIB: Resultado faz economistas elevarem projeção de crescimento para 2019

Com PIB do terceiro trimestre acima do esperado, bancos e consultorias preveem agora avanço de até 1,2% no final deste ano, impulsionado pelo FGTS

Por Da Redação
Atualizado em 3 dez 2019, 19h24 - Publicado em 3 dez 2019, 17h24

Instituições financeiras e consultorias revisaram suas projeções de crescimento da economia brasileira em 2019 e 2020, depois da divulgação do avanço de 0,6% do Produto Interno Bruto (PIB) no terceiro trimestre deste ano na manhã desta terça-feira, 3. O banco Daycoval elevou de 0,9% para 1,2% as previsões de crescimento da economia neste ano, apoiado à ideia de que a liberação de recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) vai impulsionar o consumo no final do ano. “Vale ressaltar que, apesar da nítida melhora da tendência da atividade econômica na margem, o destaque nos próximos trimestres estará centrada no consumo das famílias impulsionado pelo saque do FGTS, o que deverá resultar em ritmo de crescimento na margem maior no quarto trimestre deste ano e no primeiro trimestre do ano que vem frente aos trimestres adiante”, destaca o banco. 

A Consultoria Tendências revisou suas projeções para 1,2%, e não mais 0,9% em 2019. “A maior velocidade no ritmo de crescimento motiva melhora nas perspectivas de curtíssimo prazo”, diz o comunicado da instituição. Já banco americano Goldman Sachs elevou suas projeções de um avanço de 1% para 1,2% ─ para o ano que vem, as projeções saltaram de 2,2% para 2,3%. O Santander elevou suas previsões de 0,8% para  crescimento de 1,2% neste ano. Para o ano que vem, o banco manteve a projeção de 2%, porém com viés de alta. O Citi elevou sua previsão de crescimento da economia neste ano de um avanço de 0,7% para 1,1%. Dadas as revisões, o resultado ligeiramente mais forte do que o esperado no terceiro trimestre e as evidências de um crescimento mais forte do PIB nos últimos três meses do ano, a XP Investimentos também revisou a projeção de crescimento do PIB em 2019 de 1,0% para 1,2%, assim como o banco MUFG Brasil. 

Na tarde desta terça, o presidente Jair Bolsonaro comemorou o resultado. “É algo inesperado para os analistas econômicos, mas, da nossa parte, sabíamos que viria uma boa notícia, e ela veio numa boa hora”, afirmou, durante discurso em um fórum promovido pela Controladoria-Geral da União (CGU). No Twitter, o presidente comemorou o resultado da economia brasileira no terceiro trimestre e chamou a atenção para outros indicadores econômicos, como a taxa básica de juros, a Selic, a 5% ao ano, menor patamar da história. “Certeza de que estamos no caminho certo”, escreveu.

A maior alta no PIB do terceiro trimestre foi a da agropecuária com crescimento de 1,3%, seguida pela indústria (0,8%) e pelos serviços (0,4%). “Na ótica da demanda, os investimentos vêm crescendo, puxado pela construção, que havia caído 20 trimestres consecutivos e desde o trimestre anterior mostra recuperação, quando comparado a igual período de 2018. O consumo das famílias também cresce, enquanto as despesas do governo – incluindo pessoal e demais gastos, exceto investimentos -, caem em todas as esferas em função das restrições orçamentárias”, analisa a coordenadora de Conta Nacionais do IBGE, Rebeca Palis.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.