Clique e assine a partir de 9,90/mês

PIB do México tem contração de 0,74% no 2º trimestre

O motivo para o primeiro encolhimento em quatro anos seria a menor demanda por exportações ter afetado a produção industrial

Por Da Redação - 20 ago 2013, 16h03

A economia do México encolheu pela primeira vez em quatro anos no segundo trimestre, após a queda da demanda por exportações ter afetado a produção industrial. O Produto Interno Bruto (PIB) da segunda maior economia da América Latina teve contração de 0,74% no segundo trimestre deste ano ante o trimestre anterior, mas cresceu 1,5% em relação ao mesmo período do ano passado. A produção industrial no segundo trimestre sofreu declínio de 0,6%.

O crescimento anual ficou bem abaixo da média de 2,3%, estimada por economistas. Na comparação com o primeiro trimestre, as expectativas estavam divididas entre crescimento e contração. O declínio do PIB foi o primeiro desde o segundo trimestre de 2009. No período entre janeiro e junho, ele cresceu 1% em relação ao primeiro semestre de 2012. No ano passado, cresceu 3,8%.

Leia também:

Continua após a publicidade

México apresenta projeto de abertura do setor de energia

Continua após a publicidade

México quer negociar acordo comercial com o Brasil

México reduz previsão de crescimento para 2013

Na medida em que a economia mexicana continua a desacelerar, os economistas têm reduzido suas expectativas de crescimento para este ano, com alguns prevendo expansão de 2% ou menos em 2013. O Banco do México recentemente reduziu sua projeção em um ponto porcentual, para um intervalo entre 2% e 3%, citando a menor demanda interna e externa.

Leia também:

Continua após a publicidade

Mantega nega que México esteja ultrapassando o Brasil

Com Brics em baixa, Mist surge como novo oásis econômico

O México tem sido visto pelo mercado como o novo ‘queridinho’ dos investidores na América Latina – sobretudo após o fraco desempenho da economia brasileira. Contudo, diante da contração econômica, muitos cogitam que o México cresça ainda menos que o Brasil em 2014. A previsão do mercado é de que a economia brasileira avance 2,2% no ano.

(com Estadão Conteúdo)

Publicidade