Clique e assine a partir de 9,90/mês

PIB da Austrália cresce 3,1% no 4º trimestre

Em relação ao terceiro trimestre, economia australiana subiu 0,6%. País tenta se isolar da forte crise econômica que assola o globo

Por Da Redação - 6 mar 2013, 10h12

A economia da Austrália cresceu 0,6% no quarto trimestre de 2012 em relação ao terceiro, sustentada em parte pela recuperação das exportações de commodities, em meio a sinais de que os cortes de juros ao longo do ano começaram a estimular a atividade econômica.

O Produto Interno Bruto (PIB) do país subiu também 3,1% em relação ao mesmo período do ano anterior e o crescimento do terceiro trimestre foi revisado, passando de 0,5% para 0,7%, conforme divulgou o governo nesta quarta-feira. Economistas esperavam um crescimento de 0,6% no trimestre e de 3% ante o ano anterior.

A economia da Austrália, de 1,5 trilhão de dólares australianos, a 12ª maior do mundo, enfrenta a tarefa de se reequilibrar em 2013 uma vez que os motores da atividade econômica se afastam de investimento em mineração e passam a depender mais de áreas como a construção de moradias e os gastos dos consumidores.

Leia mais: PIB da zona do euro cai 0,6% em 2012

Continua após a publicidade

Na terça-feira, o Banco da Reserva da Austrália (RBA, na sigla em inglês) manteve as taxas de juros em 3% ao ano pelo o segundo mês consecutivo, citando evidências de recuperação em atividades de não-mineração. O RBA baixou as taxas de juros seis vezes desde novembro de 2011 para ajudar a isolar a nação do enfraquecimento na economia mundial e estimular setores de não-mineração antes de um esperado pico e posterior queda de investimento em recursos naturais no próximo ano.

As áreas mais sensíveis à taxa de juros da economia começaram a responder ao ajuste dos últimos meses. Na terça-feira, o governo mostrou que as vendas no varejo subiram fortemente em janeiro ante dezembro, sinalizando uma recuperação da confiança do consumidor e dos gastos. A construção de casas australianas também ganhou ritmo no final do ano passado, enquanto os preços de residências aumentaram depois de quase três anos de declínios modestos.O consumo das famílias também subiu 0,2%.

A economia ainda está sob a pressão por causa do dólar australiano valorizado, o que continua a prejudicar as exportações de manufaturados e dificultar o turismo.

(com Estadão Conteúdo)

Publicidade