Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Petróleo termina sessão com ganhos em NY e em Londres

Por Jeff Pachoud 29 ago 2011, 18h04

Os preços do barril de petróleo terminaram a segunda-feira em forte alta em Nova York e em Londres, influenciados pelo bom humor dos mercados acionários. Dados positivos sobre consumo divulgados pelo Departamento de Comércio dos Estados Unidos e a ausência de maiores danos causados pelo furacão Irene sobre as instalações petrolíferas do país deram o tom dos negócios neste pregão.

No New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril de West Texas Intermediate (designação do “light sweet crude” negociado nos EUA) para entrega em outubro terminou o dia cotado a 87,27 dólares, em alta de 1,90 dólar em relação à sexta-feira.

No IntercontinentalExchange de Londres, o barril do Brent do mar do Norte com igual vencimento ganhou 52 centavos, fechando a 111,88 dólares. O volume de operações, no entanto, foi reduzido por ser feriado no Reino Unido.

“O que conta é o mercado de ações”, que indicava forte alta ao final da sessão no Nymex, disse Rich Ilczysyn, da MF Global.

Segundo o analista, os mercados seguem estimulados pelo discurso pronunciado na sexta-feira pelo presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Ben Bernanke, que estendeu o período de reunião de política monetária para dois dias e acrescentou uma coletiva de imprensa ao fim do último dia de reunião.

Continua após a publicidade

“A expectativa do mercado é que poderão ser anunciadas mais medidas de reativação econômica a partir dessas reuniões”, disse.

De acordo com o Departamento de Comércio dos Estados Unidos,o consumo dos lares americanos subiu mais que o previsto, em alta de 0,8% em julho em relação a junho.

O alívio em relação ao furacão Irene – que ameaçou até mesmo comprometer as operações desta segunda-feira em Nova York – também pesou sobre o humor de mercado, pois apesar de não se produzir petróleo nas regiões afetadas, não houve danos nos postos de gasolina nem em pontos de armazenamento, disseram analistas do Commerzbank.

O furacão perdeu força na manhã de domingo e seu centro não tocou a cidade de Nova York. Boa parte da costa leste americana foi atingida, mas as primeiras estimativas indicam prejuízos menores que o esperado.

Os preços do barril de petróleo já haviam indicado alta na semana anterior, em um período de relativa calmaria nos mercados de ações.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)