Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Petróleo sobe ligeiramente, mas pessimismo se mantém

Por Ricardo Gozzi

Nova York – Os contratos futuros de petróleo fecharam hoje em alta em Nova York, mas os ganhos marginais do dia não foram suficientes para fomentar um clima de otimismo entre analistas e corretores, que continuam projetando um cenário de queda para o curto prazo.

O petróleo para entrega em novembro fechou em alta de US$ 0,39 (0,49%), a US$ 80,24 o barril na bolsa mercantil de Nova York (Nymex). Na plataforma eletrônica ICE, o Brent para novembro cedeu US$ 0,03 (0,03%), encerrando a segunda-feira a US$ 103,94 o barril.

Em uma sessão bastante agitada, o petróleo logo superou as perdas iniciais e acompanhou a alta das ações em Nova York, mas não foi capaz de acompanhar a valorização na mesma escala. “O mercado de ações estava conduzindo o preço do petróleo, com certeza”, avaliou Phil Streible, estrategista sênior da MF Global.

Apesar da alta registrada hoje, corretores e estrategistas mantêm uma visão baixista para o mercado de petróleo no curto prazo em meio ao pessimismo com a economia dos Estados Unidos, indícios de desaceleração do crescimento econômico de países emergentes e incertezas diante da persistente crise da dívida da zona do euro.

Analistas preveem que o barril do petróleo em breve cairá para uma margem de US$ 76 a US$ 77 em Nova York, mas a cotação pode ir mais abaixo se os mercados de ações mantiverem a queda num futuro próximo. Diversos analistas apontaram para uma queda considerável no número de contratos negociados no mercado de petróleo nas últimas semanas. Somente na semana passada, a queda foi de 6,3%. Isso indica que um grande número de investidores está se retirando das negociações de contratos futuros.

“Nós estamos diante de uma enorme liquidação de commodities”, avaliou Zachary Oxman, diretor da TrendMax Futures. “O negócio preferido do último ano e meio, concentrado no mercado de commodities, está desfeito por enquanto.” As informações são da Dow Jones.