Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Petróleo recua pressionado por aversão ao risco

Por Gustavo Nicoletta

Nova York – Os preços dos contratos futuros do petróleo fecharam em baixa, pressionados por um movimento generalizado de aversão ao risco após a Moody’s anunciar que pode colocar o rating da França em revisão para potencial rebaixamento e diante da possibilidade crescente do chamado “supercomitê” do Congresso dos Estados Unidos não conseguir cumprir a tarefa de apresentar um plano para reduzir o déficit orçamentário do país.

O petróleo também foi influenciado pela apreciação do dólar, que tende a pesar sobre o valor do barril pois torna-o mais caro para os detentores de outras divisas. Perto do horário de fechamento da commodity, o índice ICE Dollar, que monitora o valor da moeda em relação a uma cesta de divisas, subia 0,3%.

“Houve uma grande repatriação rumo ao dólar”, disse Phil Flynn, analista de energia da corretora PFG Best. “O bode na sala continua sendo a Europa.”

O contrato do petróleo para janeiro negociado na New York Mercantile Exchange (Nymex) caiu US$ 0,75, ou 0,77%, a US$ 96,92 por barril. Na plataforma ICE, o contrato do petróleo tipo Brent para janeiro teve declínio de US$ 0,68, ou 0,63%, para US$ 106,88 por barril.

O índice acionário S&P 500, seguido em muitas das últimas sessões pelos preços do petróleo, fechou em baixa de 1,86%. “Em todo o mercado, parece que não temos muita força”, disse Tony Rosado, operador da GA Global Markets, uma corretora de opções de petróleo. “Nossas ações estão caindo consideravelmente – estamos seguindo isso e os mercados internacionais”, acrescentou. As informações são da Dow Jones.